Páginas

Follow by Email

segunda-feira, 30 de abril de 2007

Hoje recebi um novo aviso de virús

Hoje recebi um novo aviso de virús, trata-se de virús «A Bíblia dos Monges», o qual vem referenciado no site http://www.quatrocantos.com/lendas/260_virus_invitation.htm como não existente.

Mas um outro virús curioso, que é que na realidade é algo perigoso, pois que faz um bloqueio de écrã, bloqueando o pc, apesar do AVG dar cabo dele, trata-se dos postais enviados. Estes postais tem chegado via Brasil, mas segundo o site http://www.quatrocantos.com/lendas/34_cartao_virtual.htm vem como perigosos, a única coisa efectivamente que me aconteceu, foi ter que reiniciar o Windows XP quando ele caíu no meu email. É certo que abri o primeiro, mas o XP apesar de tudo manteve-se, quanto ao Linux, este pura e simplesmente avisou, que não deveria abrir o ficheiro, e como tal o dito postal com extensão «scr», foi parar à lixeira do Hotmail.

Não me deu cabo do pc, não formatou o disco, nem perdi dados. Por muito mal que digam do AVG da Grisoft para o Windows, este tem demonstrado que na realidade é dos melhores antivírus que estão aí.

Monitor Samtron 56E


Este monitor, que é um monitor que parece perfeitamente normal, limita em certa medida as capacidades do Beryl.
O xorg.conf sofre com as alterações que se põem no Beryl, todavia consegue-se obter uma resolução máxima de 1152 x 768, a 55 Hz. o que na realidade é o máximo que se consegue no Windows Xp.
Aqui fica a notícia, para outros utilizadores que tenham o mesmo monitor.

No xorg.conf, o monitor defini-o como genérico:

Section "Monitor"
Identifier "Monitor Genérico"
Option "DPMS"
HorizSync 28-57
VertRefresh 43-60
EndSection


Isto se bem que por defeito o Ubuntu o defina como:

Section "Monitor"
Identifier "S/T 57/56E/V"
Option "DPMS"
EndSection

Mas depois de ter instalado o Beryl o identifier começou a dar problemas, não aceitando a resolução de 1152 x 768.

sábado, 28 de abril de 2007

Voltando ao aMule

O aMule para fazer o download e o upload só a nível nacional precisa de ter nas preferências o filtro a 127, tal como no xTreme ou no Morphix.

Por outro lado, o único server que existe pelas nossas bandas é o Zubit, o qual no aMule pode ser editado como zubit.no-ip.org : 4661 ou 82.154.164.203:4661.

Ainda a propósito de «Onde está o tal código?? Deadline a aproximar-se!»

Parece que Ballmer se esqueceu das teorias da psicologia social.

Esta diz-nos que senão tivermos relógio para saber as horas, e as perguntarmos a um grupo de 100 pessoas, para nos dizerem a hora aproximada sem olhar para o relógio, teremos uma estimativa aproximada da hora que é.

Uma outra verdade, são os prémios Nobel atribuidos a dois cientistas cada um a trabalhar no seu país, que praticamente sem terem contacto (?) conseguem chegar exatamente às mesmas conclusões.

Ora, será que a dita linha de código, não terá que haver com este fenómeno?


sexta-feira, 27 de abril de 2007

O funcionamento do crontab

O funcionamento do crontab

O funcionamento do Crontab vai depender da compilação do ipfilter.

ipfilter v2.02 (Script by geeko)
================================

USAGE: $ ipfilter [options] ||

OPTIONS:
-h | --help : Shows some help information
-u | --usage : Shows this information
-v | --version : Prints the script version
-N | --netcabo : Creates a new "ipfilter.dat" for netcabo clients
-A | --adsl : Creates a new "ipfilter.dat" for adsl clients
-E | --extra : Appends to "ipfilter.dat" previously defined extra ipranges (def. Razorback2)
-HH : Prepares the "ipfilter.dat" for users that will use the HAPPYHOURs...
-k | --koizo : Uses the list of ips to block from koizo (default)
-b | --blowfish: Uses the list of ips to block from blowfish (smaller file)
-f | --force : Force download of files (useful when changing from NETCABO to ADSL or vice versa)
-l | --list : Displays all extra ipranges
-a | --add : Adds a new ip (range/cidr/single) to the extra ipranges file
-d | --del : Deletes an extra iprange entry by its index
-s | --small : Creates a simplified version of the ipfilter file (less ipranges smaller size)
-q | --quiet : Don't ask any questions
-y | --yes : Automatically replaces the old file (backup)
-r | --reload : Automatically reloads the new file (requires "amulecmd")
-c | --crontab : Automatically sets the crontab [1h..7h]

EXAMPLEs:
$ ipfilter -N -E (creates the ipfilter.dat for netcabo + extra ipranges)
$ ipfilter -A -E (creates the ipfilter.dat for adsl + extra ipranges)
$ ipfilter -A -E -HH (adsl + extra ipranges + HappyHour READY!)
$ ipfilter -l (displays all previously added extra ipranges)
$ ipfilter -a 123.123.123.123 DESCRIPTION (adds a single IP)
$ ipfilter --add 123.123.123.0-123.123.123.255 DESCRIPTION (adds a IPRange)
$ ipfilter -a 123.123.123.0/24 DESCRIPTION (adds using CIDR notation)
$ ipfilter -d 2 (deletes the 2nd entry from the list)

Após essa compilação com as escolhas correctas, fica tudo a funcionar.

Mas por enquanto vou manter o meu Bowlfish a fungar.

Ainda a propósito do aMule no Ubuntu

Quando instalei o Amule através de Adicionar/Remover Programas, instalei através do Gestor de Pacotes Sinaptic os outros utilitários do aMule.
Só que ainda não defini coisa alguma, isto apesar dele estar funcional.
Sou noviço no Linux, apesar de estar a gostar da experiência, e talvez durante o fim de semana vá fazer o que o nosso amigo Rui Moura fez no seu Fedora;
http://ruimoura.net/blog/2006/11/29/linux-como-fazer-traffic-shaping-no-amule/

Mas como referi no Post anterior o meu Bowlfish «funga» bem e recomenda-se, por isso irei experimentar o crontab no meu amule. Só acho um defeito no amule, as bandeirinhas dos países não aparecem, será que já alguém pôs isso a funcionar no amule?

quinta-feira, 26 de abril de 2007

aMule ou Bowlfish

Após ter usado o aMule, reparei que o meu tráfego estava a contar na maior parte do tempo como internacional. Não é que me importe muito, mas ficar sem 6 gigas logo no início do mês, depois de ter utilizado o Azureus, para tirar um ficheiro e o amule, fiquei um pouco desconfiado.
Removido o ipfilter, recompilado o ipfilter.pl, o problema continuou, poderia ser da pouca habilidade cá do rapaz, mas a existência do MoBlock da Phoenix, permitia definir realmente filtrar o tráfego, só que não era exactamente isso que pretendia.

No Windows XP costumo utilizar o Bowlfish e o Koizo, depende do que quero «downloadar», pois que também costumo utilizar o Morphix ou o Xtreme.

Não desisti de configurar o aMule no Ubuntu, mas como gosto de usar o Bowlfish, toca de utilizar o wine para o instalar, e depois de instalado, o «sudo wine eMule.exe», fá-lo funcionar às mil maravilhas, e até com uma maior velocidade.

Após ter experimentado várias distribuições de Linux, tais como Fedora, Suse, Caixa Mágica, Alinex, Kurumin, o Ubuntu foi ficando sempre primeiro com o Dapper, depois com o Edgy e agora com o Feisty. A escolha do Ubuntu talvez seja devido aos Fóruns de apoio, pois que é raro aquilo que não se consegue resolver no Ubuntu, através da leitura dos ditos Fóruns de ajuda.

O que é certo é que este sistema está aqui há cerca de dois meses, tendo ligado muito poucas vezes o Windows. Graças ao Ubuntu consigo não estar preocupado com os troyans, spywares e com toda a porqueira que tinha que estar sempre a limpar no Windows.

Com o Feisty fiquei a saber que o MLDonkey está também a funcionar, e funciona, pois que já fiz um download com ele. Só que como ainda não encontrei a literatura suficiente sobre ele, ele continua quieto, até novas experiências.

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Kit's sem fios ou batatas fritas Pringle


Os Kits sem fios são óptimos para quem usa um laptot em casa, porém existem certos cuidados que o utilizador deve ter. Os actuais Laptots ao estarem adaptados para redes WI-FI livres, não conseguem distinguir se a rede é pública ou se por acaso não é a rede do vizinho, que até tem uma boa largura de banda, e consegue ser bem mais rápida que a própria rede contratada.
Não é, uma nem duas pessoas, que oiço dizer que lhe estão a roubar o tráfego, mas uma coisa é certa, é possível roubar o tráfego, e inclusivamente amplicar o sinal recebido através de um processo bem simples.
Este curioso objecto, que contém batatas fritas depois de vazio e sem a tampa e o fundo colocado no enfiamento do captor de ondas, serve para amplificar a banda recebida. Por sinal esta notícia saíu na revista Geek*.

A laia de aviso, se tem um router sem fios faça o favor de não o por à janela, o router sem fios não precisa de ver quem passa na rua, além do que pode ter um vizinho mais espertalhão que utilize a sua net, em vez de utilizar a dele.


* (revista Geek Ano IV - número 23)

Linux-xp

Trata-se de uma distro de linux interessante, existindo já pelo menos três versões, uma russa, uma inglesa e espanto dos espantos, uma brasileira.

versão russa - http://www.linux-online.ru/desktop/
versão americana - http://www.linux-xp.com/

No entanto apesar de saber que é a Imtech brasileira que está de roda desta distribuição, ainda não consegui o link de download da dita distribuição brasileira.

Novo distro Alinex

Novas distros

Alinex 2_0_beta acabou de sair, trata-se da distribuição portuguesa elaborada pelo Núcleo de Informática da Universidade de Évora.

http://www.alinex.org/

O Alinex é extremamente fácil de instalar, e de usar, só que apesar de tudo prefiro o Ubuntu.

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Google Talk no Ubuntu

O Google Talk no Ubuntu não tem nada que saber, pois que este fica perfeitamente integrado no Firefox, basta ir à página:

http://www.google.com/talk/

e clicar no Launch Google Talk, e em seguida é só seguir as instruções.

Windows XP descontinuado

A notícia foi referida pelo http://www.laroot.org/, XP descontinuado em 2008.

Em Janeiro de 2008, ou os utilizadores passam para o Vista ou então o XP fica descontinuado, isto é, o pessoal migra para o Linux ou migra para o Vista, tendo que despender umas largas patacas para poder utilizar o pc e a net.


Quanto a mim, já fiz a escolha. O Linux faz aquilo que preciso de fazer a nível de trabalho. Como tal, mudar só realmente para Linux, seja ele Ubuntu, Fedora, Suse ou outro que não dê muito trabalho em por a funcionar.

A notícia aqui fica!

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Fawn Feist e ligação via router

Ubuntu Edgy upgrade para o Feist mais Router Linksys.

Após algumas tentativas para por o Ubuntu Feist Fawn Beta ligado à Sapo com um Router Linksys ADSL2 Gateway e não conseguir à primeira, resolvi investigar o que é que era dito pelos diversos Posts, e num Post Brasileiro ligado ao Ubuntu acabei por encontrar a solução.

A solução é simples, basta editar o ficheiro interfaces que se encontra em:
/etc/network/interfaces

sudo gedit /etc/network/interfaces
e em seguida postar lá este texto:

# /etc/network/interfaces -- configuration file for ifup(8 ), ifdown(8 )


# The loopback interface
# automatically added when upgrading
auto lo
iface lo inet loopback


auto dsl-provider
iface dsl-provider inet ppp
provider dsl-provider
# please do not modify the following line
pre-up /sbin/ifconfig eth0 up # line maintained by pppoeconf


# added by pppoeconf
auto eth0
iface eth0 inet manual

Obs: Se for seu caso, substitua todas as ocorrências (são 3) de eth0 por eth1, ou eth2, eth3 etc


Grave e reinicie, vai ver que se fez a actualização a partir do Edgy, não precisará de fazer mais nada, pois que os dados de login já lá existem, e está imediatamente ligado à net.


sinto-me:
Happy

terça-feira, 17 de abril de 2007

Azureus tirando o Fawn Feist



Apesar de já ter tirado vários distros do Ubuntu este é mais um, o Desktop do Fawn Feisty 7.04, via Azureus.

Claro está, que a Grisoft também lançou um AVG em pacote Deb, o que facilita imenso a vida ao pessoal do Linux, pois que ele corre que é uma maravilha.







Não se trata de uma ferramenta essencial no Linux, mas como andamos sempre com os ficheiros do windows nas pen's, é melhor jogar pelo seguro.
Rápido e seguro, extremamente fácil de utilizar, é uma das facetas do AVG.

Emule Xtreme no Ubuntu


Só para demonstração, eis aqui a imagem do Xtreme no Ubuntu:

Com o LINUX e o Beryl podemos ter coisas engraçadas


O Ubuntu com o Beryl permite imagens destas:
Nada mais fácil do que escolher que écrã se quer ver, basta clicar em cima dele.

Emule Bowlfish no Linux


Apesar de utilizar o aMule no Linux, e também o Azureus, resolvi importar os ficheiros temporários que estavam parados no Bowlfish do Windows XP, e fazer corre-los no Ubuntu.
Nada mais fácil:
sudo wine bowlfish.....exe e eis que ele se instala na directoria onde o mandei instalar-se.
Para o usar basta o «sudo wine eMule.exe» e ele está rodando que é uma beleza.
Uma outra experiência que fiz, foi com o Xtreme, e também ficou todo a funcionar. No entanto o Koizo, não o consegui instalar com o Wine, mas como também já o utilizava pouco, ficará para quando existir um upgrade do programa.

Ubuntu Feisty e Beryl ati radeon 9250 128MB


Após várias tentativas frustradas em instalar o Beryl, resolvi o problema, instalando a driver da placa gráfica, acrescentando-a aos modules, mas deixando no xorg.conf a configuração de origem, ou seja ati.

Como se pode ver pela imagem ao lado.

E viva o Linux, dá por vezes um pouquito de trabalho, mas é bem mais seguro que o Windows.

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Após vários testes com o upgrade do Edgy para o Feist, o único problema que ainda resta, é a ligação à net, que ainda não está totalmente automztizada, tendo-se que recorrer ao admnistrador do sistema, para activar o router, ver o script no jotacapa.no.sapo.pt.

Ubuntu Feist Fawn

No dia 17 de Abril sairá o Ubuntu 7.04 que já é conhecido por Feisty.