Páginas

Follow by Email

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Respostas emocionais com o coração

Todos nós respondemos com o coração em vez de ser com o cérebro. A esta hora, já muitos dos que lêem este blog, resolveram passar para outro ou pura e simplesmente continuar a ler.
A verdade pura e dura, é que a Inteligência Emocional tem que ver com este órgão, o coração. O coração sofre com as nossas emoções, que o diga Von Karayan que mal acabou a sua carreira de maestro faleceu inesperadamente. Mas quem quiser saber melhor a história pode ler no livro «Curar de David Servan-Schreiber publicado pela Dom Quixote».
De facto, nós emocionamo-nos, zangamo-nos, e até tomamos algumas atitudes que por vezes nos arrependemos, e aí entra o bate, bate coração, e este sofre com as nossas emoções.
A verdade é que o ser humano funciona emocionalmente, quer agrade ou não, as nossas emoções, por vezes agem por nós, e quando assim acontece, alguma coisa pode sair fora do trilho.
A psicologia é assim, descobre por vezes aquilo que já há muito tempo tinha sido dito pelos poetas e pela literatura.

Saída do Planeta Geek

Vou sair do Planet Geek. Além disso, quando escrevo uma notícia relativamente rápida, esta segue tal como está. Além do mais, o meu blog, irá debruçar-se mais sobre a psicologia do que propriamente dito da informática.

E quer queiram quer não, este blog no blogspot, desculpem lá, mas foi mais um onde fui pondo umas notas, por vezes um pouco avulsas. Além do mais, alguns dos meus artigos deveriam ter bibliografia e não têm.

Masa quem quiser a ler as minhas larachas, pode-me encontrar o meu blog em http://jotacapa.blogs.sapo.pt.

Até outra vez, em que o Mário Gamito, não esteja tão mal disposto.

Agora é moda nova

Agora a moda é por encerrado por medida cautelar para reaparecer com um novo aspecto, será esta a nova prática de marketing publicitário.

Normalmente os meus passeios por trackers ou por fóruns são reservados para o Domingo de manhã, pois que nessas alturas estou com paciência para visitar uma série deles e ler as últimas novidades.

Ainda no Sábado ou no Domingo que passou fiquei a saber via email que o Fórum do Verdadeiro Emule, estava com problemas de conteúdo. Um outro fórum, através do mesmo processo de aviso, via mailing lista avisou-me que o seu site tinha sido hackeado. (Este ponto aqui, deu barraca, mas paciência, não vejo o problema, mas vai ficar exactamente como está, aliás para procurar o dito email, precisava de arrancar pelo XP e ver os mails que guardo no Outlook).

Achei estranho que o Alentajox tivesse enviado para o tracker do Btuga um ficheiro que só podia ser descompactado com o WinZix, mas este ficheiro nem com o Winzix nem com nada, pois que parece-me que ele tinha era uma espécie de troyan. Claro que podia ter tirado uns quantos bytes ao ficheiro que ele funcioanva, só que incrível que pareça esse dito ficheiro estava vazio, assim tirei cerca de 700 megas sem receber nada, e ainda correindo o risco de ter metido um troyan no XP (Se pensam que é conversa da treta, isto que escrevi, desenganem-se, porque o mesmo ficheiro também se encontra anunciado no site http://thepiratebay.org/, e por sinal deu bastante zaragata).

Btuga - retorno

Dentro em pouco teremos novamente o Btuga a funcionar.
Parece ter sido mais obra de Hackerismo que outra situação, mas esperemos para ver.

DVD's legais mas pouco - I

Há cerca de 2 anos eu e a mnha mulher comprámos uma série de DVD's de alguns filmes que gostamos de rever. Um deles foi a Guerra e Paz. A cena passou-se assim, o leitor de DVD recusava-se a ler o DVD, e eu não tive mais remédio que copiá-lo para se poder ver o filme. Ora, o acto de fazer uma cópia é um acto ilegal em si, mas eu fazer uma cópia apesar de estar a cometer uma ilegalidade, cai no âmbito do Backup legal dos produtos que eu tenho.

BTUGA e IVA

O facto do Btuga estar com problemas é bem capaz de ter que ver com a história do utilizador Premium e o pagamento dos 5 euros mensais. Talvez eu faça aqui elucobrações, mas o facto de eu pagar 5 euros implica que exista uma contabilidade organizada da parte do receptor desses euros. Pode-se ainda pensar que se o Btuga pagasse IVA este teria de ser esquematizado da seguinte forma IVA = 1,05 €, e 3.95 € para o Btuga. Não sei a figura legal nem contabilistica desta coisa, mas como as finanças andam atrás da malta toda, para se pagar impostos, não me admirava muito que seja exactamente esta história do IVA, IRS e IRC. Mas talvez daqui a algum tempo fiquemos a saber a história toda.

Btuga - Quem é que se aborreceu?

Não é a primeira vez que alguns sites de trackers ficam em baixo, já aconteceu ao Mula da Cooperativa, ao Verdadeiro Emule, e muito outros, até o Pirates Bay já sofreu do mesmo mal.

Fechar um site nacional, o qual na prática é o único site nacional fidedigno, apesar de ultimamente existirem algumas anomalias nos ficheiros que se tiram, acho extremamente mal. Aliás, pelas normas da União Europeia não podem em caso algum acusar de pirataria a malta que partilha. A partilha não é para já nenhum original, além disso, quando alguém me empresta um DVD vídeo ou um jogo, estão de certa forma a partilhar, será que também querem acusar o pessoal dos empréstimos feitos por amigos, ou mesmo por bibliotecas públicas.

Deixem o Btuga e a comunidade do BTUGA funcionar.

terça-feira, 24 de julho de 2007

Emails da UOL no Hotmail.

Há já algum tempo que tenho vindo a receber emails da UOL com as notícias, com o seguinte teor:

24 de Julho de 2007

Olá como está? Seu amigo(a) Marcio visitou o site, e enviou uma indicação de notícia, para visitar, clique.

Acidente da TAM mata mais de 180 pessoas - EXCLUSIVO

Mensagem:
Achei muito interessante e resolvi enviar, por favor assista!

Ora, como ficheiros exe não são coisa que se veja no Linux, e aproveitando uma daquelas poucas vezes que navego com o Windows, resolvi investigar o que é que o dito ficheiro «exe» faz. Para começar ele vem com o nome de InternetExplorer, por outro fez uma partida curiosa, desactivou imediatamente a firewall do XP. Consegui-a repor, e fiquei curioso, ainda não tive tempo de desassemblar o programinha, mas que os nossos amigos «brasileiros» descobriram uma nova forma de entrar no pc cá do pessoal, parece que descobriram.

Emails enigmáticos ....

Que será que eles querem....?

�ÂŽR‰Á“ÞŽq‚Å‚·�B‚à‚Á‚Æ‘�‚ß‚É‚²˜A—�‚³‚µ‚ ‚°‚悤‚ÆŽv‚Á‚Ä‚¢‚½‚Ì‚Å‚·‚ª�AŽdŽ–‚ª‚È‚©‚È
‚©‘½–Z‚Å‚¨‚»‚­‚È‚Á‚Ä‚µ‚Ü‚¢‚Ü‚µ‚½�B‚²‚ß‚ñ‚È‚³‚¢�B
ˆ¤�lŒ_–ñ‚ÌŒ�‚Å�¡‰ñ�A˜A—�‚µ‚Ü‚µ‚½�BŽ„‚ÌŠó–]‚Æ‚µ‚Ä‚Í�A‰ï‚Á‚Ä‚¢‚½‚¾‚­“x‚Ɉê‰ñ10–œ‰~
‚©‚ç‚ÌŒð�Û”ï‚ð‚¨Žx•¥‚¢‚·‚éŒ`‚ÅŽ„‚Æ“÷‘ÌŠÖŒW‚ð‚à‚Â�A‚»‚̂悤‚ÈŠÖŒW‚Å‚ÌŒð�Û‚ð‚³‚¹‚Ä
‚¢‚½‚¾‚«‚½‚¢‚Ì‚Å‚·�B‚à‚¿‚ë‚ñ‹M•û‚É–À˜f‚ª‚©‚©‚é‚悤‚È‚±‚Æ‚Í‚ ‚è‚Ü‚¹‚ñ�B‚Ü‚¾‰ï‚Á‚Ä
‚à‚¢‚È‚¢‚Ì‚É�A‚¢‚«‚Ȃ肱‚ñ‚ÈŒ¾—t‚ª�o‚Ä‚­‚é‚Æ‚Í‘z‘œ‚à‚µ‚È‚©‚Á‚½‚Ì‚Å‚Í‚È‚¢‚Å‚µ‚傤
‚©�HŽ„‚Ɖï‚Á‚Ä’¸‚­Ž–‚Å‹à‘K“I‚É‚à“÷‘Ì“I‚É‚à•K‚¸–ž‘«‚ð‚³‚¹‚Ä‚Ý‚¹‚Ü‚·�B‚à‚µ‚¨’f‚肵
‚½‚¢‚Æ‚¢‚¤�ê�‡‚Í‚»‚ê‚Å‚à�\‚¢‚Ü‚¹‚ñ‚ª’f‚è‚̘A—�‚Í•K‚¸‚¨Šè‚¢‚µ‚Ü‚·
‚Å‚Í�A•Ô�M‘Ò‚Á‚Ä‚Ü‚·‚Ë�ô

segunda-feira, 23 de julho de 2007

ontem assisti a uma engraçada

Ontem, o anti-virús recusava-se a abrir um ficheiro proveniente do MSN que vinha com troyan.
Na realidade, todos os cartões que me têm caído desde há algum tempo no meu hotmail tem ido directamente para o arquivo 13.

Mas para quem estiver interessado, existem duas formas de poder ver o dito ficheiro do cartãozinho, eu cá não aconselho nenhuma, mas uma das formas, é descarregá-lo para um pasta fora do núcleo duro do windows, ou então descarregá-lo para uma pen.

O meu anti-virús não está de modas, e normalmente nem a pen escapa à sua detecção, mas como há uns anti-virús mais burros que outros, por vezes é possível por na pen, e desde que não se abra, o antivirús não o reconhece como potencialmente perigoso.

Desta é que eu não estava à espera

Vivos 20%

Não, não vou fazer propaganda ao livro de John Wyndhan, publicado em 1951, com o título no original de «The Kraken Wakes». Mas, gostaria de deixar uma reflexão. O livro retrata uma época de pós-cheias, e que após essas ditas cheias, o Reino Unido praticamente desapareceu como país organizado que é, transformando-se num país em que quem imperava a lei do mais forte, e daquele que tivesse as melhor armas.

Claro que o herói da história, no final acaba mesmo por morrer na Ponte de Londres, só que nessa altura pouca diferença faria na história, já que tinha conseguido chegar a Londres.

Ao olhar para as inundações que tem acontecido por todo o Reino Unido, é consequência da meteorologia, mas não só. Fala-se da poluição, fala-se do degelo, fala-se de muita coisa, mas até parece que os cientistas não sabem da variação polar. é que esta pode variar por um, dois ou três graus, mas que tem no resto do mundo uma influência imensa. Esta variação http://www.iag.usp.br/siae98/fenomastro/movimento.htm, «...uma circunferência de raio aproximadamente de 10 m centrada num ponto que chamaremos de pólo médio.»

A poluição e o efeito de estufa, podem realmente acelerar estas as situações catastróficas que certos países parecem viver, no entanto há cerca de 60 anos atrás o Reino Unido passou por idêntico fenómeno, provavelmente se houvessem registos meteorológicos anteriores, iriam descobrir que já tinham existido cheias idênticas.

Porém, no Reino Unido nos últimos dois anos tem sido notícia devido a fenómenos constantes de cheias, rios que transbordam. Na Suíça ainda no início do ano os rios resolveram transbordar, por cá este ano várias cidades ficaram inundadas. Reparando-se que as linhas de água e de escoamento existem, mas que muitas vezes estão atafulhadas com cimento armado. Claro que a força da água arrasta tudo o que está à sua frente, pois que se não tem a linha de água antiga, a massa de água vai construir ela própria uma, vai mesmo arranjar uma saída.

domingo, 22 de julho de 2007

Ubuntu Gutsy – balanço da semana

Levei a semana toda a pensar, faço o upgrade para o Gutsy ou espero mais um pouco. É das tais coisas tenho já cerca de 20,5 gigas de material que está aqui, e que estar a passar para DVD's já vai ter que ser com cautela. Aliás esta instalação deste Ubuntu que funciona no PC caseiro já cá está há cerca de dois meses, sim este aguentou as minhas trafulhices durante cerca de 60 dias. Ubuntu 7,04, Kubuntu -> Edubuntu (porque gosto mais dos ícones, acho-os giros, será por eu andar ainda na escola?), bem mas adianta, como precisava de programas que tratassem o som, resolvi instalar aquilo que era possível instalar do Ubuntu Studio.
Mas entretanto, pensei, e se fizesse o upgrade para o Gutsy, bem da última vez, que o tentei tive que fazer o downgrade, pois que a maior parte das coisas não funcionavam como deve ser.
Mudança nas sources-list de feisty para gutsy e depois um apt-get update, um apt-get upgrade e foi vê-lo começar a instalar-se, sem dar erros. Ou melhor deu um erro num programa durante a instalação. Mas actualizou direitinho e sem defeitos, para além desse programinha, que tinha sido instalado à mão, e é daqueles que experimento, e como não é dos programas que esteja constantemente a utilizar, resolvi desinstalá-lo completamente, removendo-o do sistema.
A única falha do Gutsy, ou melhor, não deve ser do Gutsy de certeza, eu tinha acesso ao disco C:\ do windows, onde ia buscar algumas coisitas, como músicas, filmes e algum material que está, mas com o Gutsy é preciso ter paciência, e é uma coisa que tenho aprendido, paciência para lidar com as novas versões. O fuse dá-me erro no acesso ao disco C:\, mas hoje vou estar de folga de tentar pesquisar e de tentar montar o disco do Windows. Existe um problemazinho no «fstab», mas no linux a paciência e a pesquisa fazem milagres.

Vamos esperar pela semana que vem para ver o que se passa com o fuse no Gutsy, provavelmente vou ter que o remover (fazer um purge ao fuse) e torná-lo a instalar, mas para já, e principalmente hoje, não lhe vou tocar, pois que até pode ser que o Ubuntu amanhã ou depois faça uma actualização do Gutsy e que este problema, que é o único que encontrei, fique resolvido.

Nota: Tudo funciona, até o Evolution Mail funciona, hip, hip hurra!!!!

sábado, 21 de julho de 2007

Como conheci o SoundForge

Entrei em contacto com a o SoundForge 4.5 por um colega que sabe que eu gosto de programas para tratamento de som, e me enviou um CD com um lote de programas para tratamento de som.
Isto passou-se à cerca de 7 anos atrás, e entretanto o SoundForge evolui e evolui até ao ponto de se poder substituir as vozes dos actores nos filmes, por outras. Mas essa não é a minha especialidade.
Mas entretanto, como o SoundForge evolui para o Mac e para o Windows e eu evolui para o Linux, o Sound Forge foi ficando um pouco de lado, se bem que tenha sempre o último saído à mão de semear para o que der e vier. Não vá alguém lembrar-se que fiz CD's para a Rádio Clube do Sul, e me peça exactamente o mesmo.
O problema de se tirar a parte vocal dos ficheiros MP3 é que vai depender como a produtora realizou a gravação. Normalmente a voz é posta por cima da música e não misturada com esta. Nessas tanto o Audacity como o Sound Forge são relativamente fáceis de tirar a parte vocálica, podendo fazer-se uma faixa de Karaoke sem grandes problemas. Pois que dá-se mais uns picos à música, e quem quizer pode cantar por cima, fazendo nós uma colagem por cima da música, ouve-se, se está bem fixa-se, se não estiver bem move-se a voz para a direita ou para a esquerda, e acerta-se a olho. Se por acaso o cantor desafinou, e deu umas fifias desde que não sejam desmesuradas, podemos acertar-lhe a voz.
Outros programas tal como o CoolEdit, permite visualizar a música e a canção até várias faixas, podendo-se separar quase todos os instrumentos da faixa de mp3.

Normalmente quando me dizem que eu podia ripar certos CD's de música para MP3, o que eu recomendo sempre é que usem o SoundForge, é rápido a fazer o backup de importação dos CDA para MP3, e não perde a qualidade de codificação dos 2 ou 4 canais canais, como seja o caso da Quadrifonia.

Harry Potter chega ao fim

A saga do Harry Potter chegou ao fim. O pequeno já não é tão pequeno quanto isso, e das duas uma, ou ia para uma universidade da bruxaria ou entrava na vida activa casando-se e tendo muitos meninos. Talvez existisse uma terceira opção tal como Urlsula Le Guin fez com o Feiticeiro de Terra Mar, que foi po-lo a correr mundo, sem no entanto escrever mais sobre ele, mas deixando sempre a porta aberta à inspiração, caso tivesse que repegar na personagem para escrever mais uns livritos.

Esta autora que um dia ao olhar para a paisagem que passava das janelas do combóio onde seguia para a sua habitual jornada de trabalho teve a bela ideia de escrever a história que estava a imaginar, ou melhor, qualquer de nós imaginamos histórias fantásticas quando vamos de viagem e os nossos olhos não se detéem na paisagem que passa a correr, só que J.K. Rowling teve a arte de por em palavras escritas as histórias que a sua imaginação produziu durante essas viagens. Claro que, um pequeno bruxo tem que crescer, senão às tantas acontece como no caso da Enild Blyton, o raça dos moços nunca mais cresciam, as férias que eles tinham juntos, já ultrapassavam em muito a sua idade. Pelo menos Rowling fez crescer o bruxinho, e este quase que está pronto para receber o diploma de bruxo, talvez casar e ter meninos.

O imaginário da autora funcionou, e funcionou durante 7 livros e mais uns quantos livrecos especializados sobre o mesmo tema. Mas o jovem Harry Potter tem que crescer, e cresceu, arranjou amigos, arranjou namorada, fez inimigos, viu morrer meios amigos, e como tal a série tem que acabar. Porém, e um dia destes a autora é muito bem capaz de repegar na história, e falar a «sério» das aventuras dos pais de Harry Potter.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Necessidades Educativas Especiais

Esta denominação NEE – Necessidades Educativas Especiais (Decreto Lei nº. 319/91 de 23-8-1991, tem levado a que centenas de alunos, mais deficientes ou menos deficientes, terminem os cursos do ensino secundário, tecnológicos ou profissionais a terminarem com sucesso esses percursos educativos.

Nalguns casos pontuais as avaliações são diferenciadas, permitindo a que os alunos abrangidos por regime, consigam terminar com sucesso o seu percurso académico.


Mas uma coisa é o sucesso educativo que temos com estes alunos, outra porém é a sua entrada na vida activa. Se enquanto estão nas escolas, existe uma certa protecção do aluno, quando este termina o seu percurso essa protecção acabou-se. Isto é, nós fornecemos «as asas ao aluno, mas este vai ter que voar sozinho», e como todos nós sabemos o ingresso no mercado de trabalho actualmente é complicado para quem tem um curso superior quanto mais alguém que tendo um rótulo de deficiente termina um Curso de Educação e Formação ficando com uma qualificação profissional de nível 3, a nível nacional e europeu, fica com a sensação que a protecção que a escola lhe deu durante o seu percurso formativo, pode ser mantido para além dela.


Na verdade, a partir do momento que o aluno realiza a Prova de Aptidão Tecnológica, tem a partir desse momento a sua qualificação de técnico profissional de grau 3, porém como neste mundo nada é garantido, a entrada no mercado de trabalho também não é garantida.


O sucesso do aluno na integração no mercado de trabalho, não vai depender nada da escola, mas sim da atitude deste e da sua família perante a perspectiva da entrada na VIDA ACTIVA.

Será que o João descobriu a receita das Francesinhas?

O meu amigo João tem um blogue que não é actualizado há já algum tempo. Porém tem lá uma receita que deveria ter publicidade. A receita das «Francesinhas» http://www.singer86.blogspot.com/.

Será que este jovem descobriu a receita das tradicionais Francesinhas do Porto?

Não sei, mas um dia destes, quando tiver um pouco de paciência hei-de experimentar esta receita. É preciso é mesmo ter paciência, pois que por vezes ao fim de um dia de trabalho, apetece-me é ficar sentado a ver os pardais a debicarem os pedacinhos de pão que nós pomos no jardim.

Debian Etch

A versão DEbian Etch 4.0 pelo menos no local de trabalho, poupa-me a paciência que tenho que gastar com a desinfecção constante do Windows XP.
Não é mais complicado de usar que o Ubuntu. O único problema, é que tenho que ter o DVD à mão, caso queira instalar mais alguma coisa, já que ele vai buscar certas libraries ao DVD.
Mas é um sistema extremamente funcional, sem dar grandes problemas.


Em poucas palavras, estou a gostar da experiência.

Pensamento - I

A nossa velocidade de «pensamento» é bem mais veloz do que aquilo que conseguimos digitar, isto para não falar que se conseguissemos escrever tudo aquilo que pensamos, então deveriamos ter vários cadernos escritos por dia. As ideias umas interessantes outras sem interesse nenhum fluem constantemente, mas porém quando deitamos mãos à escrita, por vezes, já não nos apetece sequer escrever aquelas brilhantes ideias que tivemos, perderam-se, esfumaram-se, ficaram para trás e a oportunidade de tal ideia passou para os confins da memória

terça-feira, 17 de julho de 2007

Debian 4.0 Etch

Se bem que seja um fã caseiro da distribuição Ubuntu e Kubuntu em casa, no trabalho resolvi experimentar o Debian 4.0 Etch.
Para começar, como o pc está ligado à rede local, nem sequer preciso de estar com grandes preocupações em configurar a ligação, e talvez seja esta a razão pela qual não a pus em casa.
As impressões, é que parece-me um sistema completo e funcional. Principalmente como Gnome isto de não ter experimentado o KDE, mas mais dia menos dia lá chegarei.

Dado que transformar em KDE basta por o DVD do Debian Etch e dar o comando:

gksu aptitude kde-il8n-pt kde kdebase kdelibs kdesktop

indo ele buscar, no meu caso ao DVD e ao FTP de Évora.

Quem quiser experimentar saíu na revista espanhola Todo Linux nº 78.

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Modafinil ou a nova moda .....

No Reino Unido apareceu uma nova moda entre os professores universitários, que é tomar Modafinil (http://www.modafinil.com/) contra o JetLeg. O dito medicamento, que terá sido aprovado pela FDA serve para várias perturbações do sono, sendo uma delas a narcolepsia, demência de Alzheimer e mais uma série de patologias.

No entanto, com a utilização do Modafinil estamos quase a chegar ao Adnirável Mundo Novo e à bebida estimulante que era o Soma.

Um destes dias a moda chega aos nossos estudantes universitários para poder fazerem directas e tirar os melhores resultados possíveis, pois que tem o condão de incrementar as capacidades mnésicas.

Cours, Budhia, cours !

Da Ásia chegam-nos histórias de pasmar. Ontem na Arté com a história de Budhia fiquei a saber que um rapazinho de 4 anos consegue correr a maratona, mais depressa do que um homem adulto.

Apesar de ser uma das muitas histórias que se passa na Índia, em que as mães vendem os seus filhos para conseguirem sobreviver, este teve a sorte de não ir parar a uma oficna de tecelagem, onde ficam amarrados aos teares.

Um treinador de judo local, conseguiu resgatá-lo a quem ele foi vendido. Tendo-o adoptado posteriormente.

Mas correr 60 kms, não é para qualquer um, mas este pequeno conseguiu o feito apesar dos 37 graus centrígrados que se fazia sentir.

A reportagem sobre Budhia talvez tenha servido para mostrar, que crianças de 4 - 5 anos, não devem correr tais distâncias, porém e apesar de neste caso a própria Ministra da Mulher e das Crianças ter intervido, interviu neste caso, que foi manchete de jornais e televisões, mas no entanto não intervém junto às fábricas de tecelagem, em que as crianças têm que permanecer amarradas por correntes como se fossem elefates aos teares.

sábado, 14 de julho de 2007

Notícias de um país longínquo

Os jogos olímpicos aproximam-se. E à medida que se aproximam, começam a aparecer cada vez mais notícias sobre algumas coisas que se passam na China. Esta semana, foi dado especial relevo à:

- Colgate made in China, com um componente que é extremamente tóxico e corrosivo.

- Pela SkyNews e pela Arté fiquei a saber que naquele país, não falsificam produtos para exportar, também falsificam produtos para consumo interno. Estão neste caso, Xarope para a tosse, no qual é introduzido um produto que pode matar a criança, «se não morre da doença morre da cura»

- Por último mas não mais engraçado, as empadas feitas com cartão. As empadas muito saborosas, e parecidas com carne eram feitas de cartão pseudo reciclado.

Pelos vistos, não fazem só fakes para o estrangeiro também fazem fakes para o próprio mercado.

Quem diria ......até às IPCam

Tudo começou por tentar procurar um programa para fazer sociogramas uma vez por ano. Depois de uma ou duas semanas, o programa vai para o baú dos esquecidos, e vai ficando, até ao ano seguinte. Foi desta forma que comecei a experimentar o Linux, aqui há cerca de uns 4 ou 5 anos atrás. Não quer dizer que não tenha experimentado as primeiras versões da RedHat e da Suse. Mas a mandria e a falta de ligação à net em casa, impediram de prosseguir o seu uso a 100%.
Apesar e já ter feito uma ou duas tentativas para por a funcionar uma C54NETCAM pelo router, cheguei à conclusão que preciso de tempo para o fazer, não é chegar aqui e fazer a instalação Install Setup Wizard, do Activex, IPView SE e a Câmara de Ip fica a funcioanr.

No Kubuntu apesar de não ser complicado, é preciso compilar primeiro alguns programitas.

O primeiro trata-se do «ipcam-0.4.3» que apesar de já estar compilado e funcional isto é sem erros, falta-me ainda definir o ficheiro de config para ele, e como sou novato nestas andanças, vai ficar para ver depois.

Depois vem o Zone Minder que de cada vez que o compilo diz-me que falta esta ou aquela librarie, meia esquisita, e que eu vou ao Adept procurá-la e se a encontro instalo, também não falta muito, o primeiro que faltava já está funcional, era o servidor Apache, que já está instalado e funcional.

O terceiro e último programa é o motion-3.2.7, que já está aqui à espera de ser compilado, mas que eu ainda não o fiz.

Devagar, devagarinho, vou substituindo o uso deste ou daquele programa que utilizava no Windows, passando a utilizar outros no Kubuntu.

Sabem, acho que ainda estou em fase de aprendizagem no Kubuntu.........

quinta-feira, 12 de julho de 2007

Não estou para aturar jovens displicentes

Não estou para aturar jovens displicentes, muito menos nesta altura do ano. No Algarve e provavelmente por esse país fora, nas zonas balneares os jovens atacam os empregos de férias, os quais se situam nas áreas dos supermercados e das papelarias. Mas o que a mim me irrita é o ar displicente e negligente destes jovens, que ganhando pouco ou muito, parece que estão a fazer um frete.

Passar as mercadorias na caixa com visor lazer com o braço direito todo encostado e utilizando a mão esquerda para puxar artigo a artigo é obra. Ainda mais obra é, quando a menina da caixa esquece-se de cobrar aos dois sujeitos anteriores, que estavam a discutir sobre a «chapata» e a batata frita palha que tinham comprado, tendo a menina da caixa esquecido de fechar a conta, debitando esse total que importava em 20 euros na minha conta.

Chamada a gerente, conferência de mercadoria, pedido de desculpas aceites, aqui fica a nota:

Nesta altura do ano conforme é hábito compro nas mercearias da terra que agora dão pelo nome de «mini-mercado». O atendimento é personalizado e conseguem ser mais simpáticos que os jovens displicentes que encontro nas caixas dos supermercados.

Psicologia On Line II

A consulta psicológica é uma actividade directa e para a realizar é imprescindível o contacto directo, o olhar face a face, os tregeitos. Só numa situação vis-à-vis é que posso observar tudo isso. A questão que coloco é simples, eu posso tirar uma dúvida sobre orientação vocacional aos alunos que foram passando pelo gabinete de orientação, mas não posso perceber via teclado, o que ele sente, o que ele pensa e muito mais importante, como é que ele se sente ao falar das suas ilusões e desilusões durante o seu percurso escolar.

O tornar impessoal a consulta on line tira toda esta faceta humana que e imprescindível muitas vezes para um diagnóstico correcto. As consultas psicológicas não se fazem em 10 ou 15 minutos, leva normalente 1 hora ou mais, e todas as consultas seguintes demoram tanto tempo como a primeira, sensivelmente 1 hora. Isto para não falar que se o doente descompensar durane a sessão, vamos ter que perder tempo, e compensá-lo devidamente, para não sair furibundo do consultório.

Não basta dizer que tem que recomeçar a vida nos casos de divórcio, temos que dar à pessoa as alternativas que estão à sua disposição e que ela não as reconheceu nem as sabe utilizar.

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Psicologia On Line - capítulo I

Na net tenho encontrado de tudo, mas de um consultório psicológico que se transforma em Blog, não lembra a ninguém.

Este consultório que tem este Link apareceu-me no índice dos blogs, não é nada de outro mundo, pois que uma está a começar a institucionalizar-se a net para a ajuda psicológica.


Já me propuseram abrir um consultório com uma plataforma digital, mas tudo não passou de ideias, porém outros mais lampeiros resolveram abri-lo, uns mais caros que os outros, e eis-me interrogado, será o técnico que responde, com webcam a funcionar e microfone aberto, para poder dar consultas, ou se será por mensagem teclada?

terça-feira, 10 de julho de 2007

Como cheguei ao Linux

Cheguei ao Linux por necessidade de trabalho. Engraçado, não é, um psicólogo escolar que precisa de um programa que faça sociogramas para não os ter que estar a desenvolver da forma tradicional, nas velhas folhas quadriculadas de papel almaço.

Quando pesquisei na net, havia a possibilidade de se utilizar em Windows, mas as escolas não tinham disponibilidade financeira para o adquirir, e muito menos aos «nuestros hermanitos».

Não é que o dito programa para o Windows seja muito «caro», mas havia outro material para adquirir que na verdade é tão imprescindível como o PC onde se trabalha.

O ksociograma pode ser descarregado actualmente de um site francês (http://www.speedyshare.com/209414192.html), e a técnica de instalação é simples:

./configure
make
make install

e o dito programinha está instalado.

Porém nunca com o Linux Coiote. Começou então a saga da procura de uma distribuição de Linux fácil de utilizar, e que me deixasse utilizar o Ksociograma. Tive a sorte de ver numa tabacaria a Revista Brasileira PC Master Edição n.º 105 que trazia o Kurumin 5.01. O qual adoptei pois que era uma distribuição que me convinha tanto no pc caseiro, como no HP que tinha na escola.

Gostei do Kurumin mas mudei de distribuição, porque aquela janela no canto inferior direito, teimava em desaparecer como que por encanto, ficando à nora com o teclado brasileiro.

O engraçado, é que apesar de ter testado o programa com uma turma, o certo é que um livro de apoio ao Director de Turma, veio tirar-me o divertimento, pois que esse livro de apoio, trazia a grelha para o DT realizar o sociograma da turma. Simplificado, é certo, mas que dava os resultados principais, isso dava.

No entanto o bichinho do Linux ficou, tanto que quando vi o livro do Paulo Trezentos sobre o Linux Caixa Mágica adquiri-o, só que com o Modem Thomson da Sapo, e com um Celeron 800 mhz, as coisas ficaram um pouco complicadas. O disco era de 8 gigas, o qual ainda está a funcionar num pc de um colega. O certo é que achei a distribuição pesada, não no tamanho mas no tempo que leva a instalar. Mais tarde, resolvi adquirir o Fedora 3, e experimentá-lo, tendo servido para esse efeito o pobre desgraçado de 8 gigas. Fiquei cliente do Fedora 3, até aparecer o Ubuntu Dapper.

Aí mudei radicalmente para o Ubuntu não só por distribuirem gratuitamente o CD através do ShipIt, mas muito pela facilidade de manuseio.

E assim vim eu parar a estes meandros estranhos que é o mundo Linux.

Morcegos na Escola

Normalmente os morcegos costumam pendurar-se, mas este resolveu ficar na escola, numa zona fresca, e sempre no memso canto.

Mldonky já funciona a 100%

O problema deste programa é que todos os tutoriais não dizem tudo, mas a forma de resolver o problema é simples.

1º - Instala-se o MLdonkey através do Adicionar e Remover Programas.

2º - Faz-se o Download do último MLdonkey.

3º - Descompacta-se, copia-se o conteúdo para o directório escondido do MLdonkey, corre-se o mlnet.

Para quê complicar o que é fácil.

segunda-feira, 9 de julho de 2007

Mldonkey fungar funga, mas.....

Apesar de ter seguido todos os tutoriais que já estão desactualizados, continuo com o problema, para que raio de sítio vão os downloads. A impressão que tenho, é que o pessoal não usa o MLDONKEY devido à dificuldade da sua instalação.

domingo, 8 de julho de 2007

Notícias dispersas da psicologia

Segundo um programa da Arté sobre «La Cosa Nostra», em Itália chamaram um psicólogo espcializado em «Mafias».

Sono REM - Rapid Eyes Mouvement

O Sono tem características próprias, não vou estar a descrever as características pois que se pode consultar na Wiki, ou em qualquer livro especializado, mas convém deixar uma referência básica.

O sono é composto por períodos de cerca de 45 minutos de sono lento (profundo), e cerca de 15 minutos de sono REM (Rapid Eyes Mouvement). Ora é neste período que todos nós sonhamos, mesmo que ao acordar não nos lembremos deles. A este período é designado pela psicologia, psicanálise, medicina e afins como o «trabalho do sono ou do sonho», já que se trata um período em que todas as nossas memórias se organizam.

Há muito tempo que se sabe que os barbitúricos e hipnóticos cortam este período do sono, têm esse condão,deixando de existir sonhos, deixa também de existir sono REM.

Regular o sono é uma situação por vezes complicada, e talvez seja por isso, que existe tanto consumo de ansiolíticos, barbitúricos, bezodiazepinas, e outras substâncias do género.

Temos que dormir, pois que no outro dia temos que ir trabalhar, temos que estar de cara alegre e bem dispostos e para isso é necessário uma noite de sono. E eis que chegamos ao ponto crítico da nossa história biológica. O nosso ritmo circadiano não coincide com as nossas 24 horas, digamos que terá mais meia hora. Ora façamos as contas, se me adormeço às 23 hoje, amanhã já só conseguirei adormecer às 23:30 e no dia seguinte às 24:00. Se, se pensar um pouco, só este pensamento nos pode tirar o sono.

Vejam lá, não fiquem com insónias depois de ler este post!

A imagem diz tudo



sábado, 7 de julho de 2007

Cuir de l'eau

Aprendi um novo termo no noticiário Suíço da Arté:

Cuir de l'eau, cuir le poisson et les autres chauses......

Ora se os franceses usam builler, porque é que os Suiços usam cuir.

Pacto de silêncio

Durante esta semana tornou-se a falar da pequena Maddie que desapareceu de um «British Ressort» em Lagos. O resumo da mais uma semana sobre o desaparecimento, pois que já ultrapassa os 50 dias, veio dar a lume, algumas curiosidades tanto locais como interncacionais.

A SkyNews num dos seus resumos veio dar conta a quem costuma ir ouvindo, pois que raramente estou especado à frente da televisão pois que a Internet é como o rádio amadorismo, vicia, mas passemos ao que ouvi. O interrogatório realizado pela PJ aos pais, levou metade do tempo para a mãe, e o dobro para o pai, por isso é que ele saíu de lá às 4 da manhã.

Em segundo, e notícias reveladas pelo jornalista Hernani Carvalho na TVI, o pai não disse de que é que tinham estado a falar ao jantar, parece que estavam acompanhados, porque estavam sujeitos a um pacto de silêncio.

Mas há mais, não deixem de dar uma vista de olhos ao Jornal do Algarve http://www.jornaldoalgarve.pt/artigos.asp?varNumero=5503, e da reportagem sobre exotérico e bruxaria em Portimão. Este encontro de «videntes, bruxos e companhia» pelo Mestre Alves, que tal como diz o artigo, «já não andam em vassouras», mas sim em veículos de 4 rodas, estilo Audi's e BMW's topo de gama, avançou numa sua «vidência» que a dita pequena Maddie «já não era possível encontrar com vida, pois que tinha sido vendida via Marrocos a alguém extremamente poderoso e rico, para transplante de órgãos».

Mas o INCONSCIENTE COLECTIVO referido por Young está bem presente nestas revelações sensacionais, que se foi ouvindo e lendo, tanto na impremsa nacional como na imprensa internacional e não esquecendo as diversas televisões que se captam pelas parabólicas.

Quem é que conhece?

Como é meu hábito, quando ligo o PC costumo normalmente ver que mail é que tenho. E normalemnte o primeiro que abro é o do Hotmail. Já pela segunda ou terceira vez o raio desse email é enviado, o email vem da «akobe.org», e solicita um recadastramento, se formos à página, reparamos que ela está numa das línguas asiáticas, muito parecido com o Mandraim, mas será? Como eu não sei Mandarim, nem nenhuma língua desse género, o email costuma ir parar logo ao arquivo 13.

Mas este ao solicitar o recadastramento, (palavra que é de origem brasileira, não portuguesa) envia um ficheiro executável, com extensão COM. Hoje ainda não tive paciência para a descarregar e ver o que é que ela contém com o dissassembler, mas prometo, para a próxima, dissassemblo-a, e hei-de por aqui o resultado.


sexta-feira, 6 de julho de 2007

Onde está o erro?

Vejam bem, e descubram a gafe!

Apanhada numa revista de distribuição gratuita.

A configurar o Gutsy Alpha 2

Depois de muitas voltas e revoltas, resolvi sacar o distro do Gutsy Alpha 2, via ftp da Univ. do Porto, (e biba o Puerto.......), gravar, e pô-lo a arrancar o pc. Hum,..., começou bem, não deu erros,

Olá, o update está quase no fim, espera o gajo cortou-me a ligação e está mesmo a obrigar-me a re-arrancar o pc.

O que vale é que já tinha guardado o primeiro parágrafo, e agora toca a instalar o aMsn, ena pá, entrou direitinho. Espera, o Adicionar e Remover Programas, parte está em Português, mas a outra parte, está em Inglês, Mas isto vai, agora, só falta instalar os programas habituais, aMule, Deluge, Google Earth, Media Player e Codecs, e uma coisa é certa, começo a preferir trabalhar à moda antiga.

PC Personality

Será que as máquinas têm personalidade?

Se eu pudesse passar um Minesota Multifactorial Personality Inventory aqui ao meu Desktop, ele provavelmente dir-me-ia, «Tu és um granda chato». Só quero aquela versão do Ubuntu Feisty 7.04, que gravaste no 19/4/07 às tantas horas da noite!

Não ponhas mais nenhum OS dos que tens tirado, porque eu não me dou bem com eles!

Interrogo-me, será que ele tem personalidade, ou serei eu que estou condicionado?

CD/DVD V

Depois de muito ver porque é que o Linux não gravava, e porque é que certas coisas davam erro, o que não é normal, comecei a observar que todos os CD's e DVD's gravados ultimamente com o finado AOpen, estavam mais ou menos bons para deitar para o arquivo 13.

De resto, só tinha dois remédios, ou faziam um download do Kubuntu através do XP e o instalava ou instala o Ubuntu. Mas confesso um pouco a minha tendência para o écrã do kubuntu.

Quando os CD's e os DVD's começam a dar erros, já devia calcular que ao instalar, também erros iria dar.

quinta-feira, 5 de julho de 2007

CD/DVD VI

Isto realmente há dias. A custo, e com muito suor, consegui gravar um backup daquilo que queria, só que este DVD apesar de se poder ler no Windows, dá de raia, e diz que os ficheiros AVI que lá tenho são inválidos.

Ponho-me a pensar, reinstalar de raíz, pois que sei que as coisas irão funcionar, ou fazer um upgrade para a próxima distribuição do Ubuntu, isto é para o Gutsy apesar de estar em Alpha 2.

Mal por mal, não vou perder grande coisa, para já, vou ao Darkstar sacar a última distribuição, e depois vou relamente tentar convencer o Nero a gravar o ISO, mas desse eu não tenho receio, ele já me formatou um DVD+RW e disse que estava tudo bem.

Já conto como foi.

CD/DVD IV


Chegou o novo gravador. Hummm, será que se pode dizer a marca, bem de qualquer forma, o outro era um AOpen, e estoirou ao fim de 1 ano e 11 meses, a garantia é de dois anos, mas segundo os representantes da marca não havia nada a fazer, chiava, chiava, parecia que não agarrava os CD's, e ficou feito em sucata informática.

Este é um LG, menos ruidoso que o AOpen, mas agora aconteceu-me uma que ainda não tinha acontecido. Gravar ele gravou, tanto que tem lá o AVI, só que quando acabou de gravar, apareceu o maldito rectângulo a dizer que não tinha gravado.

Ora o ficheiro está lá, já queimou o CD, mas este está em modo texto, e ele diz que não tem Codec para o abrir. Ao tentar copiar do leitor para o Ambiente de Trabalho dá isto.

Uma coisa é certa, já funciona, mas agora lá vou eu ter que começar a pesquisar nos fóruns uma forma de resolver o problema, ou então, terei que fazer mais um upgrade de kernel, está-se mesmo a ver não está-se!

Alterações do sono e não só - II

Preâmbulo e nota - como a maior parte dos meus artigos, mesmo aqueles que foram publicados na imprensa regional, Jornal do Algarve, onde durante 2 anos tive uma coluna de opinião, eram sempre repescados, achei por bem fazer o mesmo no blogue. Quem não achar bem que diga!

No post sobre as Alterações do sono e não só, expequei o link ao site www.psiquiatria.com, o site é público, basta fazer o registo, para se poder entrar, e todos os meses se poder ler os novos artigos que saem em diversas revistas científicas da área da especialidade, não só de psiquiatria, como de psicologia e de medicina em geral.

Alterações do sono e não só

Através do site www.psiquiatria.com, fiquei a conhecer o novo estudo espanhol sobre as antenas de emissão para as comunicações móveis e o novo estudo feito:


> El doctor Claudio Gómez Perretta vincula la exposición a antenas de telefonía móvil con la fatiga, depresión, trastornos del sueño y pérdida de apetito.
El jefe de Sección de Investigación en Salud Pública en el Hospital Universitario La Fe de Valencia, el doctor Claudio Gómez Perretta, expuso en una conferencia impartida en la Facultad de Psicología de Santiago de Compostela, los resultados de un estudio epidemiológico del posible efecto sobre la...


É só mais uma notícia, para o meu bloco de notas.

Divagações da Idade - 2

Desde puto uso óculos. A minha primeira lembrança de ver uma imagem nítida, prende-se a uma memória longínqua, por volta dos meus três anitos, levaram-me a uma sala imensa, talvez não fosse tão imensa quanto isso, com uns grandes quadros luminosos especados ao fundo da sala, os do lado esquerdo tinham letras, os outros tinham uns «E» cada qual virado para o seu lado, uns para cima, outros para baixo, outros para a esquerda e para a direita.

Aí, nessa sala, houve um gajo de bata branca que resolveu enviar uma armação de óculos optométricos e começar a por lentes e tirar lentes, e como não sabia ler, é lógico, aos três anos mas sabia qual era a direita e a esquerda o cima e o baixo, toca de me perguntar para que lado é que o raio dos «E»'s estão voltados.


No final, quem ia comigo, recebeu um papel, com umas garatujas e encaminhou-me para que fossem fazer as lunetas, que aquilo que eu precisava era de óculos. Foi a partir de então que comecei a usar as ditas cangalhas em cima do nariz.

A partir daí, é que foi um caso sério, tudo aquilo que era papel eu queria saber o que dizia. Aquelas grandes folhas que o pessoal lá por casa lia, que parecia um livro, mas não era um livro, era o jornal diário, passou-me a despertar a minha curiosidade, e letra a letra, fui apanhando o alfabeto, e se apanhei o alfabeto, também comecei a apanhar a palavra, claro que uma das primeiras palavras que me lembro de ter lido, foi «Diário de Notícias». É um facto interessante, desde aí, costumo ler o dito diário com mais facilidade do que os outros.

A aprendizagem da leitura nem sempre se faz na escola com a professora primária.
A aprendizagem da leitura depende muito do estímulo visuo perceptivo que a criança tem, se os pais leem é natural que a criança sinta desejo de saber o que é que os pais estão a fazer, e comece de certa forma a interessar-se pela leitura. Agora, se os pais não lêem, como é que as crianças sentirão necessidade e desejo de perceber o que está escrito nos livros?

quarta-feira, 4 de julho de 2007

Iniciei-me, ontem, no linux, instalando, com a preciosa ajuda do Jotacapa, o UBUNTU; estou a gostar da experiência, acho que vou usar habitualmente este OS; é mais rápido e menos pesado que o windows. Claro que é o início de uma aprendizagem!

Hiperactividade ou má educação 1

Provavelmente vão pensar que fiquei completamente passado de especar algumas opiniões sobre este tema. Mas como de qualquer forma, é uma situação que anda na ordem do dia, falar-se do aluno hiperactivo, pois que não consegue parar quieto um segundo, e nos apetece é pendurá-lo num cabide..... e deixá-lo por lá até ao fim de um bloco de 90 minutos.

Ora, os psicólogos sabem bem, que com alguns alunos os blocos de 90 minutos são um exagero principalmente para certas crianças que não conseguem focalizar a atenção por mais de 5 minutos seguidos numa tarefa, tendo que estar constantemente a mudar de tarefa pois que senão entra em período de desmotivação.

Porém, e é bom que se diga, que muitos casos que se vêem não têm absolutamente nada do Síndrome de HDA (Hiperactividade e Desordens da Atenção), mas sim da má educação que reina em casa, isto é ambiente familiar e também no ambiente social em que o jovem está inserido.

terça-feira, 3 de julho de 2007

Psicomática BBS - Memórias I

A malta nova ao olhar para a Internet actual pensa que nós os velhotes da informática, somos uns nabos quanto a estas coisas dos Blogues, páginas da net e por aí adiante.

Desenganem-se, a malta velhota já falava na net, sem existir o MSN, os Blogues e as outras coisas que andam por aí, trocávamos informações, enviámos fotografias pixelizadas e por aí adiante.

E no final dos anos 80 tive uma no ar, chamava-se PSICOMÁTICA BBS, a informação como é bem de ver relacionava-se com a Picologia, a Informática e vejam bem a Educação.

Através dos feeds da Fidonet e da Freenet, os nossos resumos diários ou semanais apareciam nas BBS's dos nossos colegas, e o certo é que tinha pessoal da zona Norte que ligava para a minha BBS, porque na altura avancei com um diagnóstico neuropsicológico, que poucos psicólogos e neurologistas tinham a coragem de o fazer.

Passemos então ao dito caso, a «epilepsia cicatricial». Que coisa mais estranha dirão alguns, mas o que é certo é que esse tipo de epilepsia, que é muitas vezes confundida com a epilepsia de pequeno mal, ou pequeno mal epiléptico existe, sendo na maioria dos casos provocada por pequenos Traumatismos Cranianos em que o sujeito desmaia por poucos segundos. O certo é que a lesão permanece no cérebro, pois que este ao ser sacudido violentamente por acidente, pode abrir fissuras, tal como se fosse uma gelatina sacudida numa forma. A essas pequenas fissuras chamam-se cicatrizes, e como consequência dessas cicatrizes, algumas desordens de omportamento, alterações de personalidade ou alterações de aprendizagem podem aparecer.

Divagões da idade I !

Este aqui ao lado, é um pouco mais novo do que eu, mais novo no sentido de ter para aí, menos uns 12 ou 13 anos do que a minha pessoa. Mas que continua a funcionar lá isso contínua.
Por acaso o nosso colega da Teknomática postou um Cauny visto do interior, mas e pelo menos o meu continua a funcionar, devemos mostrar o seu exterior.

Ei-lo aqui!

Um novo agregador?

Um novo agregador ou um copiador?

O amigo que está a agregar parte dos Blogs que integram o PG esqueceu-se de uma coisa, que mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo.

O meu artigo sobre dislexias que apareceu no PG, foi inicialmente com um erro, tendo sido reposto passado menos de 10 minutos com o título correcto.

Ora, o http://karpy.homelinux.net/~tj/news/index.php contínua a ter o meu artigo com o dito erro: «Dislecias» em vez das ditas »Dislexias»

Oh, pá, já que copias, então estás autorizado a copiar completo, e a copiar com a correcção que foi feito.

JotaCapa

Btuga e ficheiros para o W3player

Tem começado a aparecer uns torrents pelos tracker que depois de feitos o utilizador se vê impossibilitado de visualizar o que quer que seja.
No meu caso não se trata de falta de Codecs, trata-se sim que este 3wPlayer é na sua essência um visualizador de AVI's.
Ora o BTUGA começou a ter esse tipo de ficheiros, e já que o Btuga é nacional, não seria melhor retirar esse torrent.

Cães I

Como estamos em altura de começar as férias, ou melhor elas já começaram, visto que aqui pelo supermercados no Algarve, já se houve a pronúncia nortenha, é altura de se deixar uma nota, não abandone o seu animal de estimação. Ao contratar o seu apartamento de férias, veja se é possível trazer o seu cão ou o seu gato, isto porque há muitos donos de apartamentos que se importam, outros que não se importam. Os seus sprays de condicionamento existem, e se trouxer a manta onde o seu cão ou gato dormem, facilmente ele se habitua ao lugar que lhe é destinado.

Todos os anos, os canis municipais, inter-municipais e outras instituições deste género se enchem de animais abandonados. Não nos esqueçamos que um cão envelhece, e que provavelmente aos 8 ou 10 anos é muito capaz de não ter a genica que tinha quando era novo, além do que como no ser humano, começam as artrites reumatóides e gostam de aquecer os seus ossos ao sol.

Em muitas praias vê-se o dísticos, de proibição de canídeos, até parece que estes não têm direito em acompanhar os seus donos à praia, e têm que ficar fechados no apartamento. É lógico, que com há cães «perigosos», mas na minha opinião, mais perigoso são os donos desses ditos animais, mas o que é certo é que os nossos canídeos, também gostam de ir correr na praia.

Além disso, por vezes até gostam mesmo de tomar a sua banhoca e nadar um bom bocado, mas como nas pessoas, há pessoas capazes de tudo, e nos animais ídem, ídem, aspas, aspas.

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Telemóveis Motorola e Linux

De vez enquando tenho que adquirir um telemóvel novo, há quem o mude anualmente, há quem o mude de dois em dois anos, mas normalmente costumo aguentá-los entre uns 3 ou 4 anos, e só depois é que mudo.

Desta vez, passou-se de outra forma, o telemóvel um Motorola V1050, além de pesar no bolso para fazer o carregamento da bateria era um bela complicação, ora dava ora não dava, dizendo que era impossível carregar a bateria. Para o conseguir manipular no Windows com o CD de instalação próprio era uma trabalheira, chegando por vezes a desistir, pois que valia mais tirar o cartão e sacar as imagens captadas com a máquina fotográfica, como se o cartão de memória fosse uma pen drive.

Ora depois de bater todas as lojas de telemóveis de Vila Real de Santo António, resolvi ir a Faro, Capital do Distrito à Vodafone. Questionado o funcionário, este disse, a Vodafone não tem baterias para o seu telemóvel! Talvez na loja não sei quantos, lá fora, que tem todos os acesórios possíveis e inimagináveis para os telemóveis tenham.

O que vale é que o Fórum não é muito grande, mas lá comecei a perguntar, primeiro realmente na loja de acessórios, e nessa nicles. Em seguida foi a vez de ir bater à porta da TMN e nesta tinham baterias para o Telelé mas para o V1050 nicles, bem mais umas quantas lojas e nada.....

Mas a minha patroa resolveu o assunto, precisava de um telemóvel de qualquer geito para poder comunicar, e aquele Motorola por muito bom que tivesse uma bateria encomendada era quase de certeza o preço de um telemóvel novo. Como os telemóveis comigo não duram muito
o melhor era comprar um que fosse utilizável, que tirasse umas fotos, e que comunicasse bem, ou melhor que eu conseguisse ouvir, por que por vezes, ao telefone sou um pouco «duro de ouvido».

Assim foi, a escolha recaíu num Motorola, e eu a dar com os Motorolas, um W375. Para meu espanto, fiquei quando cheguei a casa, fiquei a saber que ele funciona em Linux, carrega via USB através do da porta USB e consigo descarregar as fotos mais rapidamente do que as pelo velho Motorola.

Fiquei a saber uma coisa, a Motorola dá-se bem como o meu Ubuntu. Mas não consigo abrir pelo XP, e esta hein?!!!

Que futuro para as Democracias

Bem quando caiu no mail o pedido de um artigo sobre “Que futuro para as democracias”, fiquei assustadiço, mas por acaso ao ler a Debian 4.0, uma revista espanholita, fiquei com a sensação de ter praticamente o problema meio resolvido.


Aquilo que vou escrever hoje, se fosse a pegar no texto amanhã, já não sairia escrito exactamente da mesma forma. O conteúdo seria o mesmo, mas a forma de a escrever seria outra e talvez completamente diferente.


A frase é batida, é certo, mas diz-nos praticamente aquilo que devíamos por na vida prática diária;


«A liberdade de cada um termina onde começa a liberdade do outro.»



Assim, se eu tenho liberdade para usar os sistemas que entender, é que melhor se aequam à minha forma de trabalhar, porque é que tenho que ir adquirir um sistema custa uma pequena fortuna, e que o mais certo é eu não utilizar, porque os meus velhos programas não funcionam nele. Se eu tenho a liberdade de escolha, e se vivemos em democracia, então posso escolher livremente, e ao optar por um sistema linux, no caso o Ubuntu, é exactamente pela razão da «liberdade de escolha».


Caímos assim num paradoxo, e o paradoxo é que realmente existe uma certa liberdade para investigar, mas no caso, por exemplo dos medicamentos para a SIDA e para o Cancro, os accionistas das companhias que patrocinam a investigação depois do produto ser lançado no mercado, como é lógico querem o seu lucro, e daí que o medicamento que poderia ter um preço viável, fica tão caro. Ora, democraticamente falando, se os ditos accionistas recebessem um pouco menos de lucro desse dito investimento, até que os ditos medicamentos pudessem ser um pouco mais baratos.


Mas as regras da democracia, não se aplicam por vezes ao mercado «capitalista», onde todas as empresas têm que ter lucros desenfreados, que por vezes chegam a atingir os 70% ao ano, isto não é democracia.


domingo, 1 de julho de 2007

Ubuntu Tribe Alpha 2

No final da semana que passou, mais uma versão teste do Ubuntu saíu. o Tribe Alpha 2 apareceu.. Para quem gosta de se arriscar, aqui está o link: http://www.ubuntu.com/testing/tribe2.