Páginas

Follow by Email

sábado, 30 de junho de 2007

Na Revista Todo Linux

O Ministério da Educação Japonês resolveu mudar, e mudou-se para o Linux.

Pode ser lido na revista Todo Linux nº 77.

Software Livre na Educação

Software Livre na Educação.No dia 5 de Julho de 2007, no Auditório da Escola Secundária de Palmela vai-se realizar mais um dia

"Dia do Software Livre na Escola".



sexta-feira, 29 de junho de 2007

Novo virús anunciado pela Panda Software

Este novo virús anunciado pela Panda software, trata-se do troyan BotVoice.A.

Já tinha sido falado aqui há uns tempos atrás um troyan chato que dizia que o conteúdo do seu disco rígido estava a ser apagado. Porém, não o chegava a apagar. Esta situação aparecia nessa altura como produto para ajudar os utilizadores invisuais, pois que há diversas ferramentas como o Hall Screen Reader, Jaws e outros que são auxiliares importantes para os cegos e amblíobes.

Porém, atacar essa camada populacional que precisa de utilizar os ditos mecanismos de apoio às novas tecnologias com a realização de um malware que destrói o registo e os documentos que nós temos no nosso disco, é obra.

A notícia foi divulgada no mailing list da Oxigen3.pandasoftware.

O casamento que não o chegou a ser...

A notícia foi dada pela Lusa, http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/VzekFQSGVnlzNXCWijwjWA.html, um casamento que não chegou a ser, ou melhor, o sujeito que já era junto com uma outra mulher há já cerca de 8 anos e com três filhos, foi impedido por esta de se casar.

E esta. Casamento tradicional em Moçambique senão for registado na conservatória não vale. Mas que pode ter a mulher à «perna», lá isso pode. Não é em vão, que o marido paga o dote exigido ao pai da noiva, mas por outro, se este a adquiriu dessa forma, por outro se ele é dono dela, ela fica «dona do marido». Uma tradição que a antropologia explica bastante claramente, já que um homem, se tiver poder económico em vacas e cabras, pode ter mais do que uma mulher. Enfim, situações essas que por vezes o legislador esquece......

Dilslexias, disortografias e afins

Existem perturbações na aprendizagem que por vezes impedem o aluno normal de atingir as competências mínimas necessárias para transitar de ano. Num dos últimos números da revista de neurologia online, www.neurologia.com li um artigo sobre esta matéria.

Os neurologistas encontraram áreas deficitárias em interconexões neuroniais, na zona do quadrilátero de Pierre Marie.

Ora, esta situação vem demonstrar algo que muitos dos psicólogos dizem, é que para existir uma "dislexia verdadeira" tem que existir uma certa disfuncionalidade na área de linguagem.

Mas, aqui levanta-se uma outra questão, e essa de fundo pedagógico, será que os resultados da Matemática na 4º classe, a incapacidade de cálculo, não estará porventura ligada à falta de estimulação das áreas para o cálculo. Não é por nada, mas parece, que a aprendizagem da tabuada de cor, a memorização de poemas, e outras actividades do género, até aumentam significativamente essas áreas neuroniais.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Roam-se de inveja!!!!


Hoje ao dar uma saltada a Ayamonte, eis se não quando vejo isto e a respectiva revista:

Debian 4.0.

CD/DVD III

Bem o meu gravador de CD/DVD AOpen, começou a recusar-se definitivamente em gravar em qualquer dos SO. Como ainda está dentro da garantia, resolvi levá-lo à empresa que mo vendeu. No entanto, como trabalho com um LG, e o sistema é, exactamente igual, e este funciona, o erro não era meu nem do Linux, mas sim do hardware.

terça-feira, 26 de junho de 2007

CD/DVD II

Lá vou mesmo que ter que desembolsar uns eurozitos para um gravador de DVD's, isto se bem que tenha lido nalguns fóruns os problemas com o último Kernel 2.6.20, só que eu tenho a versão 2.6.20.15 e a versão 2.6.20.16 e em nenhuma delas o «bicho» grava, ou melhor não fecha, pois que quando se abre o CD a gravação parece estar, mas depois ele não lê o que deveria ter gravado.

Problemas com gravador CD/DVD I

Desta vez, como gosto mais de azul, e daqui a pouco ainda me chamam de portista ou do Belenenses, mas paciência, resolvi fazer a instalação do Kubuntu, isto foi: sudo apt-get install kubuntu-desktop, e o que é certo, é que o gravador deixou de funcionar. Ora, como ele continua a gravar no Windows XP com o Nero, comecei a achar estranho.

Com o GnomeBacker fiquei a saber:

executing 'genisoimage -gui -V Disco de dados do GnomeBaker -A GnomeBaker -p jca -iso-level 3 -l -r -hide-rr-moved -J -joliet-long -graft-points --path-list /tmp/GnomeBaker-jca/gnomebaker-ZLYIUT | builtin_dd of=/dev/sr0 obs=32k seek=0' I: -input-charset not specified, using utf-8 (detected in locale settings) /dev/sr0: "Current Write Speed" is 4.1x1352KBps. :-[ WRITE@LBA=10h failed with SK=4h/ASC=08h/ACQ=03h]: Input/output error :-( write failed: Input/output error /dev/sr0: flushing cache /dev/sr0: stopping de-icing /dev/sr0: writing lead-out

porém, o KInfoCenter mostra-o como deve ser.

Além disso, sei que este Gravador já tem cerca de dois anos, mas de qualquer forma se grava num sistema, também obrigação de gravar no outro.

Alguém por aí que tenha uma dica, para resolver o problema.

HELP ME!!!!

I'm new in Kubuntu

domingo, 24 de junho de 2007

WinAvi 8.0 e algumas dúvidas

Até hoje tinha utilizado o WinAvi 7 para converter os avi's mais as legendas caseiras para filmes DVD's, para se poder ver no vídeo. Porém ao consultar o site da Mula da Cooperativa, deparo que existe uma nova versão, o WinAvi 8, só que este não utiiza o codec Vobsub na conversão, do filme AVI para Vob.

Alguem saberá como resolver este problema no Windows?

Para o Linux a conversa é outra. Experimentei a versão do DeVeDe, mas o preview está com uma chiadeira áudio que mais parecia uma frigideira a fritar bifes. Consultado o site, toca de fazer o downgrade do mplayer mencoder, a chiadeira desapareceu no preview. Porém tenho por aqui umas dúvidas, trata-se do directório que o dito programa grava, além disso, da primeira utilização diz que não tem autorização para gravar, e aí eu desconfiei que já tinha feito asneira, mas como só fico a saber, após ele concluir a conversão.

Uma pergunta esquisita, será que o dito programa DeVeDe põe as legendas?

Nos céus de Castro Marim

Nos céus de Castro Marim, tivemos direito a acrobacias aéreas. As fotos não estão

grande coisa, mas dá para ver. Eis algumas delas.













sábado, 23 de junho de 2007

Ubuntu não faz acordo com a Mircosoft

Tem-se reparado que a M$ está a tentar «adquirir» patentes do Linux, tal como é referido pelo http://www.linuxparatodos.net,

"Mark Shuttleworth, presidente de Ubuntu, aseguro que no esta interesado en negociar con Microsoft como lo han hecho otros desarrolladores del codigo abierto pese a la politica de esta empresa concerniente al sistema de las patentes."

Esta notícia pode ser vista no www.ubuntu-es.org/index.php?q=node/52931, pois que parece que já existiram tentativas da parte da M$ para isso.

Debian.exe

Na revista espanhola Todo Linux n.º 77, vem um artigo com bastante interesse. A debian lançou um programinha para se instalar o Debian nos computadores.

O Jordi Massaguer do Todo Linux, dá todas as indicações preciosas, quer sobre o projecto Debian, quer sobre o projecto SETUP-UBUNTU.EXE, quer ainda sobre um terceiro que é INSTLUX.

Diga-se em abono da verdade, só experimentei realmente o Wubi2, mas que não consegui instalar, ou melhor fazer correr o Ubuntu dessa forma, quanto ao Debian, o problema é outro, trata-se da perda de ligação à net, coisa, que só se tivesse dois pc's cá por casa, seria fácil resolver, mas como só existe um, a experiência, vai ter mesmo que esperar.

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Falta de corrente e Btuga avariado

Há pouco, enquanto estava a penar no artigo sobre o Blackberry, tive um corte de corrente. Para além de ter vários programas abertos, como é meu costume, estava também a fazer um download através do Btuga Revolution para o Linux.
Quando a luz voltou, tive que reiniciar os programas todos. O Btuga deixou de funcionar pelo menú, mas funciona pelo terminal.

Quando este download acabar, vou ter que ir quase de certeza o directório do Btuga e limpar os log's que lá estiverem.

TV5Monde e PDA's BlackBerry

Hoje enquanto via o noticiário francês na TV5Monde salta a notícia, que o Ministério dos Negócios Estrangeiros de lá do sítio, bem como de outros ministérios, tendo sido todos os funcionários públicos franceses a não utilizar os seus PDA's nem os seus telemóveis para envio de mensagens via net, pois que estas podem cair nas malhas da espionagem americana.

Erro no ficheiro temp2.exe

Um meu conhecido escreveu no seu blog http://andresousa1987.blogs.sapo.pt/3188.html, é aluno finalista do CEF de Informática, e já me contou por diversas vezes que tem que formatar o pc. Coisa que me arrepia, pois que formatar o pc, significa na gíria dos meus alunos que passam pelo gabinete do SPO, FORMAT C:\.

Ora, eu sou contra a formatação a formatação do disco, se houver recuperação do sistema, isto não quer dizer, que não reponha o XP de vez uma vez por outro, mantendo os directórios dos programas e dos documentos em directórios abertos para esse fim, como salvaguarda. Isto é, não tenho confiança nenhuma na pasta «Os meus documentos» do XP, e por isso, todos os documentos importantes vão parar ao directório que pretendo.

Quanto ao André só tem que instalar um anti-spyware, e seguir as instruções deste blog http://www.virushelp.org/PNphpBB2-viewtopic-p-10664.html, já que este até tem a solução para o dito problema.

quinta-feira, 21 de junho de 2007

A praxe continuação - II

De acrodo com o comentário que recebi:

«Antes demais gostaria de mostrar do meu desagrado para todos os que usam as praxes para exercer poder sobre os recém-entrados na Universidade.

Eu sou completamente a favor das praxes, mas, regras claras. Desde o meu primeiro ano da faculdade em Lisboa que me mostrei a favor destas práticas, mas, contra toda e qualquer violência (verbal ou física) exercida por muitos pseudo-doutores.

As praxes são essecialmente práticas de sanção e no caso dos novos alunos na universidade não faz muito sentido. Eles não estão a ser sancionados para nada.
As ditas praxes aos novos alunos chama-se "marcação das bestas" que server essecialmente para:

* Marcar os novos alunos para que sejam identificados pela restante sociedade como novos alunos na universidade.

* Mostrar que eles vão necessitar dos colegas para terminar o curso, logo, necessitam conhece-los e saber se podem ou não depender deles.
Desta forma são criados jogos que fumentem esses conhecimentos e o "espirito de corpo" entre os novos alunos.

Assim sendo não considero que estas praticas (quando bem aplicadas) sejam substituidas por provas de aferição ou seja o que for como dizes, pois, não tem nada haver uma coisa com outra.
Um novo aluno na universidade deve exibir orgulhosamente as pinturas que os doutores e veteranos lhes colocaram, pois, elas o diferenciam dos outros que não entraram.»

Realmente isso deveria ser o espírito da praxe. E estou plenamente de acordo que o aluno do 1º ano, deveria ter alguma forma de reconhecimento, tanto assim é, que tradicionalmente em Coimbra os alunos do 1º ano, não podem usar traje académico.

Porém as praxes universitárias sempre foram tradição, e não é por acaso que existe referência http://pt.wikipedia.org/wiki/Praxe ao ano de 1727. Convém lembrar que a praxe na Faculdade de Medicina, deu buraco este ano, devido essencialmente ao mau uso da praxe.

Praxes ou não praxes

O Instituto Piaget foi condenado no caso de Oliveira de Azemeis.

As praxes aparecem como rituais de transição, como é o caso das praxes académicas que parece que sempre existiram, mas relatos destes só aparecem devido à morte de um estudante no tempo de D.João V em 1727.

Os códigos das praxes, devem evitar a violência e algo também que prejudique o aluno na sua dignidade de ser humano.

Além do que, se o aluno não quer ser praxado, a minha pergunta é qual o mal de ele não ser praxado. Será que para se fazer um curso superior, não se teve já exames e provas suficientes para lá chegar?

Páginas que não abrem







Não consigo abrir, pelo menos aqui neste pc a página do Planeta Geek, LOL.

Gutsy versus Feisty ou 2 pc's diferentes

Tenho vindo a relatar alguns bugs que apanhei com o upgrade para o Gutsy. Mas o que é engraçado, sem ter piada nenhuma, é que no PC do local de trabalho os updates do Gutsy tem vindo a instalar-se, sem dar erro vai fazendo as actualizações parciais, e não tenho dado conta de erros, nem de bugs.
Este pc onde estou a escrever este post tem uma mother board Asrock 775Dual-880Pro, e com uma placa gráfica ATI RADEON Connect 3D, tem vindo a acutalizar o Gutsy sem ter dado o erro estafúrdio do embedian tools.

Mas entre este e o pc caseiro, existem duas grandes diferenças, este foi começou como Edgy, e fui fazendo os upgrades de sistema à medida que eles iam saíndo. Enquanto que no de casa, instalei o Feisty de raíz.

Dado que na prática eu só tinha de importante, uns quantos filmes que ainda não vi, resolvi passar estes para uns DVD's, e ala que se faz tarde. Resintalar o sistema de raíz.
Porém, esta nova instalação que fiz, não é coisa que faça constantemente, pois que prefiro ter um sistema a trabalhar um ano ou mais, sem ter que estar a formatar o disco, levanta-me dúvidas, é que não consigo instalar o Ubuntu pelo Live CD do ShipIt. Roda perfeitamente como live, mas no processo de instalação tem dado sempre barraca. No entanto o Live CD que tirei da Darkstar no dia 19/4/07 funciona nas calmas.

Por isso, o sistema instalado já está, agora só me falta algumas pequeninas coisas, que para isso é que existe o caderno onde vou tomando notas daquilo que lhe vou fazendo.

Só que se calhar logo, ainda lhe meto o Dapper e vou-lhe fazendo os upgrades sucessivos, pois que não sei porquê, foi daqueles SO's tal como o Ubuntu MediaCenter que me fascinaram.

Vamos a ver o que logo irá dar.



quarta-feira, 20 de junho de 2007

o Report dos Bugs

Os gajos do Ubuntu um dia destes chateiam-se, pois que me farto de estar sempre a remeter bugs durante as versões de teste.

No último update aqui da máquina, o erro foi este;

A instalar emdebian-tools (0.2.0) ...

Unable to determine apt-cache policy for Debian main! at /var/lib/dpkg/info/emdebian-tools.postinst line 132.
dpkg: erro processando emdebian-tools (--configure):
subprocesso post-installation script retornou erro do status de saída 255

Mas o que é certo é que ele instalou as coisas.

Erro embedian


Quem sabe como se pode resolver isto?

Embedian-tools

Descobri ainda há pouco um dos erros que o Gutsy resolveu dar.

Trata-se do «subproceso post-instalation Script error 255 status.

Será que alguém por aí no Planeta Geek já sabe como resolver este probleminha, estou aberto a sugestões......

terça-feira, 19 de junho de 2007

A velocidade das novas actualizações

Se as mais diversas ciências tivessem a velocidade de upgrade como no Linux, já estariamos de certeza a viajar no espaço, com uma velocidade bem superior à da luz.

Um dos erros que tinha no aMule já o o corrigi, desinstalei-o, apaguei-lhe o directório e tornei a instalá-lo. Para minha surpresa o bicho instalou-se sem problemas, porém não me consegui ligar logo a nenhum dos servers, parecendo-me que está exactamente com o mesmo defeito que o upgrade do Bowlfish no Windows, ou seja, pus os dois servidores Donkey e eles lá ficaram.

Parte do problema já está resolvido. e o aMule tem cara nova.

Mas ainda tenho um probleminha no «embebedian-tools» que continua a dar erro.

Com alguma paciência e talvez com mais umas pesquisas, estes erros irão a breve trecho começar a ser resolvidos.

Mas agora voltei ao XP, e não é que ao estar a pensar no que iria escrever, o gajo resolve fazer um daqueles updates, e obrigar-me a reiniciar. Não tenho nada contra os updates, mas tenho sim contra a reinicialização constante do sistema.

Ubuntu Gutsy erro 255

A actulização para o Gutsy, não tem sido nem muito fácil nem muito complicada. Normalmente, costumo ter sempre uns quantos erros com as versões Alpha e Beta que vão saindo. Hoje, o erro que apanhei, é um erro que nunca tinha apanhado,
A instalar emdebian-tools (0.2.0) ...

Unable to determine apt-cache policy for Debian main! at /var/lib/dpkg/info/emdebian-tools.postinst line 132.
dpkg: erro processando emdebian-tools (--configure):
subprocesso post-installation script retornou erro do status de saída 255
Foram encontrados erros enquanto processava:
emdebian-tools


Trata-se de um erro do embebedian-tools que retorna o erro 255.

Com o upgrade para o Alpha do Gutsy

Experimentei a fazer o upgrade para o Gutsy, mas ainda há pacotes com algumas deficiências.

O aMule deixou de funcionar, e o erro que dá chamado do terminal é o seguitne:

***MEMORY-WARNING***: [9008]: GSlice: g_thread_init() must be called before all other GLib functions; memory corruption due to late invocation of g_thread_init() has been detected; this program is likely to crash, leak or unexpectedly abort soon...

(amule:9008): GLib-GObject-CRITICAL **: g_param_spec_double: assertion `default_value >= minimum && default_value <= maximum' failed

(amule:9008): GLib-GObject-CRITICAL **: g_object_class_install_property: assertion `G_IS_PARAM_SPEC (pspec)' failed
Initialising aMule
Checking if there is an instance already running...
No other instances are running.
aMule Version: aMule 2.1.3 using wxGTK2 v2.8.4 (Unicoded)

Terminated after throwing an instance of 'CInvalidStateEx'
what(): CRunTimeException::CInvalidStateException: CFile: Cannot get length of closed file.
backtrace:
[2] wxThreadHelperThread::~wxThreadHelperThread() in amule [0x808500d]
[3] wxEntry(int&, wchar_t**) in /usr/lib/libwx_baseu-2.8.so.0[0xb75e92ad]
[4] wxEntry(int&, char**) in /usr/lib/libwx_baseu-2.8.so.0[0xb75e9317]
[5] CryptoPP::IteratedHash, 64u, CryptoPP::HashTransformation>::~IteratedHash() in amule [0x812d010]
[6] __libc_start_main in /lib/tls/i686/cmov/libc.so.6[0xb730febc]
[7] wxNotebook::SetPadding(wxSize const&) in amule[0x807ee51]

Aborted (core dumped)

Para já não percebo bem qual o problema, mas lá tentar pô-lo a funcionar, isso vou, não sei é se o conseguirei.

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Não ter mais nada com que se entreter

Quem é Lisboeta e vem ao Algarve durante as suas merecidas férias, prepare-se, se pedir uma limonada, é bem capaz de lhe acontecer o mesmo que me aconteceu em 1993. Numa das melhores pastelarias da cidade de VRSA, ao pedir uma limonada a «resposta foi que não tinham e que não sabiam nem o que era nem como o fazer.» Admito que a funcionária que nem sequer portuguesa era, não soubesse lá muito bem o que era uma «limonada», sumo de limão mais água bem fresquinha e açucar quanto baste para cortar o ácido/azedo do limão.

Na altura não percebi aquela incongruência, se eu pedir uma água tónica, põem-me uma rodela de limão, se eu pedir uma Coca-Cola até são capazes de me por uma rodela de limão, se pedir um Martini põem-me uma casca de limão.

Mas, nesse dia para além de estar um calor desgraçado, com um sol que queimava, e precisar mesmo de uma limonada, podem-se rir à vontade, mas em vez de tomar Magnesona ou Polase se tomar uma limonada, nesses dias bem tórridos, não fico com caimbrãs, por isso prefiro a limonada, aos medicamentos!

Depois de explicar a receita, receita bem simples, pois que até era bem mais simples que fazer sumo de laranja, veio uma limonada para a mesa onde estava, tendo feito o obséquio de ter posto gelo na dita cuja, e digo-vos, soube-me que foi uma maravilha.

Da reclamação só ficou a história para mim de que em VRSA não sabiam o que era uma limonada, e se calhar se eu entrar outra vez noutro café qualquer terei que explicar a mesma história.

Infelismente a jornalista Maria Elisa teve um problema semelhante, num hotel de luxo pediu uma coisa do género, e teve que ensinar oa algarvios a fazer o que ela queria. Provavelmente uma limonada.

Mas, há quem escreva que uma destas semanas, o Miguel Sousa Tavares terá ficado chateado porque ao pedir um Gin Tónico, este veio sem limão, nem casca, nem rodela, nem nada.

Claro que a notícia nem sequer é reporatada nos jornais algarvio, a Maria Elisa em 1993 ou 1994 fez um comentário ao assunto. Mas, se o Algarvio nem nas cataplanas de marisco põe limão. Bem sei, que este fruto é um fruto ácido, de dependendo da árvore mais ou menos «amargo» com um sabor particular.

- Que praticamente todas pessoas que têm casas antigas é uma árvore que existe nos seus quintais.

- Que este tem uma venda relativa, pois que se não for vendido, estraga-se rapidamente, e uma das formas que se tem de o conservar, é extraindo-lhe o sumo e congelando-o.

- Que o sumo de limão é utilizado pelos heroinomanos como se o sumo fosse água destilada. Situação esta muitas vezes vista nas reportagens que dão sobre a toxicodependência, em que mostram sempre o mesmo sujeito a espremer um Limão para uma colher.

Por isso quem vier de férias para o Algarve, e quizer alguma coisa com limão, e o restaurante não fique surpreendido, pois que tal já aconteceu a muita gente, uns famosos outros não famosos, e aproveitado por uns mais famosos que os outros.








Será que o HD ficou cheio?

Ora, tenho andado à roda do Azureus aqui no Ubuntu, no qual até estou a fazer o upgrade parcial para o Gutsy, mas o raio do programa dizer-me que não pode escrever, deixou-me desconcertado.

Mas como se pode ver, o disco não está assim tão cheio quanto isso, por isso o problema é mesmo do Azureus.

Além disso o BtugaRevolution funciona, o BitTorrent também, por isso há qualquer marosca que falta aqui por estas bandas.

Gravador de DVD

Por princípio máquina que entra cá em casa é para funcionar. Já há uns meses que o gravador chiava antes de ler qualquer CD. Já olhei para ele, mas como o último CD-ROM que abri deixou pura e simplesmente de funcioanr, e este para já lê, mas não consigo gravar com ele.

Aliás ele não anda lá muito bom, se quando está no sistema windows preciso de carregar umas quatro vezes no botão para ele abrir, quando deveria abrir à primeira, no Linux ele abre à primeira. Mas começa a ser um mistério profundo ele não abrir logo à primeira.



As complicações dos programas de torrents

Após durante a sexta e o sábado ter usado o Azureus no Feisty através do terminal (sudo azureus), este ontem recusou-se a abrir, ou melhor abria, mostrava que até tinha lá um ficheiro para downloadar, mas fechava imediatamente. Nem por, terminal nem por menú, nem por forma nenhuma.

Hoje, com um pouco de paciência, resolvi desinstalá-lo totalmente, apagar o seu directório e depois de uma reinicialização do pc, ver se o conseguia instalar. Qual quê, o resultado foi o mesmo, porém desta vez através do Terminal um sudo azureus, mostrou-me que eu não tinha o Java VM.

Depois de ter instalado alguns plugins do Sun Java, através Gestor de Pacotes Synaptic, ele finalmente arranca e fica no écrã.

sábado, 16 de junho de 2007

O ser humano só é Resiliente até um certo ponto

Não conheço o aluno da Universidade do Minho que «esfaqueou» o professor, mas uma coisa é certa, a resiliência do ser humano tem limites. Não vou estar a discorrer sobre o tema de resiliência pois que podem ler sobre a matéria aqui http://br.monografias.com/trabalhos/reado/reado.shtml, passe a expressão, não é estar a fazer propaganda à mim próprio, mas escrevi isso durante o primeiro ano do mestrado de psicologia educacional, na UALG, e quem quizer ler mais sobre a resiliência bem pode lá dar um salto.

Correu há muitos anos uma história em Lisboa que um engraxador de sapatos (que tinha uma acentuada corcava) de sapatos, que por sinal era marreco, tinha atirado uma escova à cabeça do sujeito com gana suficiente para abrir a cabeça ao outro. Claro que foi acusado de assassinato, mas o seu advogado de defesa, durante o julgamento tanto chateou o juíz, desculpem não saber exactamente esta parte da história, que o juíz concluiu que o dito engraxador ao ter sido durante anos insultado e enxovalhado, não podia reagir de outra forma. Se houver por aí alguém de direito que se lembre da história, comente-a e emende, identifique-se que eu prometo postar o comentário e mantê-lo no anonimato, caso deseje.

Mas continuemos, esse engraxador não foi condenado, porque realmente, a situação de aborrecimento contínuo, tinha levado o engraxador a perder as estribeiras, e na gíria a ter-se passado dos carretos.

A resiliência do ser humano faz com que esta se adapte às novas circunstâncias da vida, além disso uns conseguem ter mais resiliência ou prolongá-la durante mais tempo, porém, tal como na engenharia a resiliência humana tem limites, e pode sofrer fracturas. O que aconteceu com o aluno da Universidade do Minho, foi que ele perdeu a maleabilidade de lidar com a situação de frustração constante, devido à pseudo história do «Processo de Bolonha».

Já ouvi muitas explicações sobre o Processo de Bolonha, li o DR em que isso veio publicado, mas por vezes contínuo com a sensação que daqui por uns anos, vão existir licenciados de 5 anos e licenciados de 3 anos, pois que resolveram mudar os termos, senão vejamos:

Bacharelato = Licenciatura
Licenciatura = Mestrado
Mestrado = Mestrado
Doutoramento = Doutoramento.

É exactamente isto que se passa. Pois que irá haver licenciados de primeira e licenciados de segunda categoria.

O facto é que em muitos cursos superiores algumas disciplinas parecem estar um pouco deslocadas, e pelo que tenho ouvido, as faculdades vão ter que rever os cursos, e tirarem essas ditas disciplinas. Mas esta questão toda, prende-se ainda com uma outra situação, que talvez um dia destes torne a repegar na matéria.

Mas uma coisa é certa, a resiliência tem limites, limites esses que são ditados pela resistência à frustração e à forma de manejar o stress.

Amule - Configuração final

Depois de muitas voltas, e de falar com este e com aquele, de receber dicas, de as testar e por aí adiante, cheguei à configuração que me serve, no caso para o Sapo.Adsl 8 megas.
Quanto à segurança, ficou assim:


Sou utilizador do emule, neste caso aMule, mas não sou viciado no seu uso, mas gosto que as coisas funcionem à minha maneira, ou seja funcionais.

Gaguez e Educação Especial

Existem certas deficiências/handicps que podem facilitar a vida do aluno no Ensino Superior.
Algumas delas são:

- Cegueira e Ambliopia.

- Surdez - Hipoacusias neurosensoriais profundas.

E poucas mais podem entrar no rol das deficiências aceitas.

Ora a gaguez, depende da gaguez, depende do diagnóstico que foi feito, depende se o aluno solicita o estatuto de aluno deficiente, porém não é de forma alguma «estatuto» nem dá direito a ter cerca de 14 cadeiras em atraso, tal como é referido pelo Correio da Manhã, no caso do aluno da Universidade do Minho que resolveu esfaquear um professor.

Não existe nada no Processo de Bolonha que diga que se pode ter 14 cadeiras em atraso. As facilidades do REE a nível do Ensino Superior são de outra índole, mas não dá azo a agarrar numa «navalha» e esfaquear um docente, refugiando-se na deficiência para tentar justificar o ter perdido a cabeça.

sexta-feira, 15 de junho de 2007

aMule e Morphix

E outros emules, têm um mecanismo incorporado de segurança, ou seja, e vejamos a figura: a segurança a 127 segundo dizem os entendidos no assunto, serve para restringir os ip's às faixas nacionais, se se colocar o valor a 100 passa para as tráfego internacional.
Parte das referências podem ser encontradas no site http://www.teamindustriax.com/forum/index.php, sobre a matéria, e penso que eles devem saber mais do que eu sobre o assunto, pois que a minha área é mais do complexo de Édipo ou do Complexo de Electra, mas passemos adiante.
Observei que se no Morphix pusesse a segurança a 100 realmente tirava bem mais depressa, mas também enviava para fora das ip's nacionais, na realidade se utilizar o valor 127 reduzo a entrada de tráfego internacional, porém, a história dos tráfegos também é engraçada, pois que há por aí certas redes nacionais, que a nível de tráfego contam como internacional, por muitos filtros que se ponham, o único que realmente se mostra fiável contínua para mim a ser o Bowfish.



Mas como até tenho alguma margem de manobra quanto ao tráfego, se a segurança a 127, pelo menos aparecem-me nomes conhecidos, do velho Bowlfish.

Não há nada como realmente

Tenho que agradecer ao Arame Farpado. Thanks, thanks, thanks.


Uma outra coisa que andava a preocupar-me era realmente a história do tráfego internacional, pois que o meu limite de internacional apesar de ser 24 gigas, e o nacional ilimitado, por vezes esses 24 gigas não chegam. Como tal tenho que limitar o tráfego nacional. O ipfilter.pl que se encontra no «havox.no.sapo.pt», apesar de compilado com todas as normas, parece-me não estar a funcionar, como o filtro do Bowlfish.

Apesar de várias consultas ao blogs e aos fóruns que dizem para copiar de um lado para o outro, fiquei na realidade com algumas dúvidas, como tal, mais googladas e procuras no Sapo, consegui encontrar algo que talvez interesse a todos.

Os ipfilters actualizados podem ser tirados do http://darkforce.planetaclix.pt/filtros.tar.bz2, esta informação foi recolhida no site do Ubuntu: http://ubuntu.no.sapo.pt/amuled_no_ubuntu.html.



Após ter copiado os ficheiro respeitante ao sapo, não sem antes ter feito a respectiva renomeação para ipfilter.dat, o resultado já se pode observar na figura acima, e isto com a segurança a 17.

Amule e suas configurações


Quando instalo programas por hábito deixo-os configurados, com as configurações automáticas, pois que normalmente funcionam relativamente bem, e não me dão chatices. Assim como o meu Azuereus resolve saltar via menu, mas se eu utilizar via Terminal ele faz o que quero, não vou estar a chatear ninguém com esse problemazinho, mas o aMule está a deixar-me intrigado.
Ora a configuração original era a seguinte:

Mas, parecia existir um pequeno problema, não me apetece nada ter 20 gajos todos a sacar de mim ao mesmo tempo, não é devido ao tráfego nacional ser nacional ou internacional, ainda tenho uns quantos gigas para gastar até ao final do mês, mas estarem a puxarem dessa forma achei estranho.

Através do Google e do Sapo, consegui obter algumas informações, como inclusivamente ter sempre o amule ligado, mesmo que se reinice o linux, e por aí adiante, [http://ubuntu.no.sapo.pt/amuled_no_ubuntu.html#configurar], mas o que é certo é que as ditas configurações não resolveram o problema.

Todavia encontrei uma configuração antiga que não é para os 8 megas, mas que resolvi experimentar, e realmente reduziu-me os uploads.

Após contactar o João Barros, este disse-me que era bom ver as estatísticas, e mais umas coisitas. Aoesar de andar nestas coisas há já algum tempo, há muita coisa mesmo, que sou mesmo um novato.

Por isso aqui vão mais alguns Print Screens, da Estatística e do Download versus Upload.





Para já aqui ficam as imagens e a informação, esperando a vossa ajuda para tentar configurar melhor esta coisa.

A violência não resolve!

O Processo de Bolonha veio alterar muita coisa, e por vezes alterar a vida aos estudantes universitários. Mas daí que um aluno quartanista se sinta prejudicado e vá agarrar numa navalha e esfaquear um professor no seu gabinete, acho que é já paranóia demasiada.
O pouco que se sabe, é que o dito aluno se sentiu prejudicado, mas se ele estava no 4º ano sairá como Licenciado à moda antiga, o problema do Processo de Bolonha, é que neste momento ainda não distinção entre os licenciados de 5 anos e os licenciados de 3 anos. Mas isso, e mais tarde ou mais cedo terá que vir a público, pois que não se pode prejudicar o sujeito que já tem a sua licenciatura há 10, 15 ou 25 anos em detrimento do novo modelo de ensino Superior.

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Futebol, sorte/azar ou mais qualquer coisa!

Aquilo que parece por vezes não é. Aquele penalti contra Portugal, na minha opinião é extremamente dúbio.

Ora se o guarda-redes se atira a bola, desvia a bola, e o caramelo que vem quem um touro a tentar entrar na nossa baliza. Portugal não está a jogar bem, mas aquele penalty que quanto a mim não existiu, pois que o jogador da equipa da casa ficou sem a bola, mas como não conseguia travar, devido à velocidade com que ia, só tinha mesmo uma solução, deixar-se cair. Por situações destas, ou mesmo muito parecidas, cá em pela nossa casa, já tem saído muito cartão amarelo para o jogador atacante, que faz o teatro de derrube na grande-área.

Será que as regras de futebol dos países nórdicos são diferentes dos países do sul da Europa?

À atenção dos copiões e outros que tais

Este blog é pessoal, e na maior parte das vezes serve-me como caderno de apontamentos, pois que se trata de informação que tenho que estar sempre a repegar, e em vez de ir ao caderno de apontamentos, o blog até dá mais geito, pois que em caso de dúvida sobre esse aspecto da coisa, chamo o blog e vejo o que fiz para corrigir ou para me certificar que fiz exactamente os mesmos passos que nas minhas experiências caseiras.

Há ideias que realmente me surgem, através da leitura de outros blogues, mas tal como podem ver as minhas bandas laterais até são muito rudimentares, pois que eu não tenho geito para o por mais estético, e por isso uso da forma que uso.

Claro, que todos são livres de citarem o que escrevi, de reclamarem que não gostam, e até dizer que eu sou um grande chato, mas por favor, se tirarem a ideia, ou menos citem a fonte.



Google Talk no Firefox

Se bem que seja utilizador do MSN, também tenho pessoal que usa o Gtalk, mas ter o Gtalk incorporado no Firefox põe-me um pouco aflito dos olhos, pois que fica com a letra miudinha. Mas felizmente que há pessoal que é adepto fervoroso do Ubuntu e que já resolveu utilizar o Gaim para falar pela rede do Gtalk. O link aqui fica:

http://ubuntudicas.blogspot.com/2007/04/como-configurar-o-gtalk-no-gaim.html

Ficheiros com extensão daa

Ontem aprendi uma coisa nova, ao ter baixado um torrent, este vinha com uma extensão diferente da usual, extensão «daa».

A solução foi simples, fiz o download do PowerIso e gravei novamente o DVD.

Limpeza de Troyans horses a um click de mouse

já falei que encontrei o «ploneScripts6240[1].js» e mais outros no meu pc de trabalho, quando fiz o scan com o AVG, ora com qualquer anti-virús o procedimento é sempre idêntico, remover para a quarentena, e em seguida apagar os ficheiros da quarentena. Se algum não se conseguir apagar dessa forma, é uma questão de se ir com o Explorer do Windows e apagá-lo definitivamente, convém é depois despejar a reciclagem.

Claro que este é um procedimento que deve ser tomado, mas não nos esqueçamos que muitas vezes, esses ditos troyans estão associados a alguns programas que tiramos da net, através das mais diversas formas, e que ao apagar os ficheiros da quarentena, certos programinhas podem ficar alterados.

quarta-feira, 13 de junho de 2007

O arquivador da net, ou outras utilidades

Não o descobri sózinho, o site http://www.archive.org/index.php, é um repositório de software, mp3, vídeos, jogos e de tudo um pouco. Trata-se de um repositório já falado aqui há uns tempos, mas anotícia aqui fica.

Gnome commander também serve

Ainda vou continuar a falar das limpezas no Windows, mas para além deste tipo de limpezas de ficheiros que têm encrencas, os quais podem ser apagados, pelo Explorer do M$, pelo nc.exe, ou por outro utilitário desse género, pois que também se pode trabalhar em ambiente DOS no XP e fazer as coisas à moda antiga, bem mas isso é outra conversa, e talvez sirva para outro post.
Também se pode recuperar certas encrencas no XP através do Gnome Commnder, basta para tal que o ntfs-3g operacional é possível realizar as limpezas e as alterações dos ficheiros que se quer. Pela experiência que tenho, e pode-se dizer que já é alguma, no final do ano passado o disco do pc onde trabalho estava particionado com o Ubuntu Edgy, e um belo dia entrou ou melhor todos os pc's do local onde trabalho foram afectados com tal coisa, que foi o Gestor do Sistema, Firewall, Updates etc, ter ficado corrompido. Depois de muitas voltas e de muitas tentativas para repor o sistema em condições, a solução foi fazer backups dos documentos e dos directórios do XP, que queria preservar, o que se fez pelo Linux, para um DVD e para um ou dois CD's, após isso, instalou-se um disco de 8 gigas para desenrascar e mais tarde um de 20 gigas, no qual está o sistema Ubuntu actualmnente. Normalmente se os jovens que me procuram é informação, procuro-a via Linux, se tenho que cotar provas, tenho que por o Windows a funcionar, mas na maioria do tempo, trabalho no Ubuntu.
Em casa, a história é outra, o Windows XP existe num disco de 120 residente, mas na maioria do tempo, estou via Ubuntu Feisty que reside num HD de 160.
Aliás o Salamander 2.5 que falei no post anterior, testei-o via sudo wine no Linux, tendo visto o seu funcionamento através dessa forma.
No entanto, os troyans e os spywares tem muito que se lhe diga, pois que a maior parte desses bots é que eles alteram ou inscrevem-se no registo do windows, e aí temos de saber exactamente como o bicho se chama, para poder limpá-lo com o «regedit.exe», via linha de comandos do Windows [executar], por outro pode-se utilizar o Registry Cleaner que o Paulo Barata já falou num dos seus posts. Trata-se de um programinha que ajuda na limpeza dos registos do windows.
Por muitos anti-virús que se utilize, e por muito bom que eles sejam, há sempre coisas que entram, e ficam na pasta dos temporários do windows, se elas não fazem mossa no Linux, é porque o sistema está montado de forma diferente, devido a essa diferença, é que parecendo que o meu pc está desorganizado, praticamente não uso os directórios automáticos do Ambiente de Trabalho do Windows, pois que basta uma pequenina intrusão, para ficarmos com essa área afectada, além do que a nova partilha do MSN pode ser muito engraçado a troca de ficheiros, mas corremos o risco de o sujeito com quem partilhamos uma pasta nos enviar uma porqueira, que não saemos exactamente qual é.
Pelos relatos que tenho tido, o Norton e o Panda, são eles que às tantas mandam no sistema, e são bons, para quem não se sabe movimentar dentro dos sistemas, o Kaspersky é bastante bom e dá-nos a maleabilidade suficiente para nos mexermos, mas se só precisamos de um anti-virús ligeiro que trave ataques então prefiro o AVG da Grisoft, note-se que a Grisoft não me paga, e o anti-virús que uso é o free, que no meu caso tem me salvado de algumas porqueiras que entram sem eu saber.

A little information

Well, somehow and someone wrote to my blog a comment.

«Frank said... Your blog is very interesting!
Please, send me the photo of your pc desk.
I'll publish on my blog!.
And if you want I can link your blog on mine!»

Very well, but who is this Frank, and how can I reach his blog?

Sincerely I'll try to find some blogs with the name os «pcdesktop1@gmail.com» and I found ome information.

But the question to me remains, who is this Frank, and which blog should I visit, or I'have visited his or her blog!!!!!

AVG free ou a limpeza dos troyans

Há já muito tempo que utilizo o AVG e sempre consegui controlar os «bicharocos» que se vão instalando, pois que no Windows, por muito que se queira entra sempre porqueira. Enquanto tive uma ligação «dial up» o anti-virús que usava era o AVG, tendo utilizado a firewall da Zone Alarm, num Windows Me. Entretanto passei a dispor de ligação ADSL e a partir da primeira vez que me liguei com o XP, pois que ainda cheguei a utilziar o sistema com o Windows Me utilizava o AVG, quando mudei para o XP, várias coisas estranhas me aconteceram, que nem mesmo com o Panda Internet Security conseguia debelar os males que apareciam. Com estge último anti-virús realmente o sistema conseguia aguentar-se bastante tempo sem grandes problemas, só que de três em três meses, tinha que o reinstalar, dado que ficava completamente biruta. Este Panda completamente legal, tanto me aborreceu, que voltei a utilizar o AVG free, utilizando unicamente a firewall do XP, e fazendo as limpezas de rotina com o ADAWARE da Lavasoft. Porém, desde que em vez de utilizar o modem thomson utilizo um router Linksys nunca mais tive esses ataques agudos de viroses que dão cabo da cabeça a um sujeito. Por outro, como habitualmente em casa utilizo o Linux, borrifei-me um pouco para as coisas do XP, apesar de ter que o utilizar o dito cujo no meu local de trabalho, pois que a maior parte dos programas tem chave de usb e estão feitos para o Windows 2000 ou XP.
Mas passemos adiante, alguns troyans que tenho tanto no meu pc em casa, como no pc de trabalho estão numa directoria própria, e estão todos na pasta c:\utils.
Ora, se o AVG o detecta mas não o conegue limpá-lo, ou melhor não o consegue remover para a quarentena, é porque este normalmente está em Hidden file, porém normalmente o meu AVG free remove-os para a quarentena e daí eu pura e simplesmente elimino-os.
Quanto as coisas se tornam mais complicadas e os ficheiros estão em Hidden File, costumo utilizar o Norton Comander (nc.exe) que funcionando por linha de comandos mostra o conteúdo dos directórios dando-nos a possibilidade de os eliminar do sistema. Além disso apareceu agora um programa «Salamander 2.5, que em ambiente Windows, nos dá as hipóteses todas de utilização como acontecia no velhinho nc.exe. O qual neste momento nem sequer tenho em qualquer dos pc's que uso, mas que quando necessito levo em CD.
Dado que o pc onde trabalho está ligado à rede, e basta um apanhar qualquer coisa para essa coisa se ir dessiminando, tenho realmente necessidade de o «desinfectar», tendo sido isso que fiz, pois que ao ler uma pen drive de uma colega, o raio do pc, estava a ler essa dita pen como se de um CD se tratasse, a pen em si não tinha nem vírus nem troyans nem spywares, mas tinha um ficheiro em hidden que era «autorun.inf». Porém a pen tinha qualquer maleita, que não sei dizer exactamente o quê, pois que por norma, quando o meu XP lê uma pen e a reconhece não precisa de se reiniciar, mas foi exactamente isso que aconteceu, houve qualquer coisa que fez com que o XP se quizesse reiniciar, coisa que eu o impedi de fazer, pois que estava a imprimir uma folha que era necessária, diga-se em abono da verdade, que na maior parte dos pc's não se conseguia abrir a dita pen, porém eu abri-a com o XP e com o Ubuntu.
No entanto um fenómeno aconteceu, que ainda não consegui encontrar uma explicação, o IE 7 deixou de funcionar, mas o Firefox manteve-se sempre operacional. Hoje, o IE 6, funcionava sem problemas, por isso, o IE6 vai lá estar, mas o que é certo é que o Internet Explorer 7, bem me podem disponibilizar, mas não irei instalar, e mesmo que o instale, pouco funciono com ele, isto porque sou um adepto do Opera e do Firefox.


terça-feira, 12 de junho de 2007

Btuga e os meus problemas

Há muito que utilizo o BTUGA para ir tirando alguns ficheiros que me interessam, mas desde a primeira vez que o utilizo tenho-me deparado com alguns problemas. O Download até é relativamente rápido, mas o upload é sempre mais baixo do que deveria. Aliás no Ubuntu sucedeu-me uma engraçado, após ter tirado um torrent, e de ter visto o dito cujo, como que por artes mágicas o dito ficheiro desapareceu, e eu tive que o tornar a por em download. Coisa curiosa, o tempo que levou para o download, foi como se o SO tivesse recuperado o ficheiro. Mas aparentemente tenho um probleminha para resolver, trata-se do seguinte:

Não posso de forma nenhuma fechar o programa nem fechar a sessão, pois que ao repegar a sessão, o Btuga Revolution do Linux, não reconhece o torrent que já está no pc, deixando de ser semente do dito cujo.
Ora se os torrents estão no pc, e eu não lhes movi para parte nenhuma, não deveria o programa Btuga Revolution no Linux, reconhece-los?

Fica a dúvida para quem souber mais que eu, e me puder dar alguma dica sobre o assunto.

Virús e outras maleitas

Ontem o meu sistema resolveu reiniciar após ter imprimido um documento retirado de uma pen drive, mas mal eu sabia que hoje, o pc onde trabalho só se ligava à net via Linux. Não é por nada, mas a maioria dos programas com que trabalho estão de facto em windows, se bem que já tenha umas quantas coisas no outro sistema.
O AVG detectou quatro Troyans, alguns deles com nomes interessantes, que afectaram o uso do Internet Explorer 7, e o Windows Live Messenger, o próprio Opera Browser também foi afectado, mas o Mozilla Firefox, manteve-se impassível, e funcionou, tanto assim que me deixou escrever este post.
Mas, vamos aos nomes dos ditos cujos:

ploneScripts6240[1].js Troyan horse JS /Uniz B
update[1].exe Troyan horse PSW.Banker3.NTE
fat-data-rtecovery-demo.exe Troyan horse Generic4.UXG
ntfs-fat-datarecovery-demo.exe Troyan horse Generic4.UXG

Claro que pelo menos dois eu já sabia que os tinha, e tratavam-se do

pen-drive-data-recovery-demo.exe Troyan horse Generic4.UXG

Mas o que é certo, é que houve algo que fez com que eu não pudesse acessar a net, o que por sinal hoje não fez grande mossa, mas normalmente preciso de estar sempre ligado a um determinado site institucional, hoje, por enquanto ainda não aconteceu ter o gabinete cheio, mas hoje até tem sido uma manhã calminha, a qual deu para desinfectar o pc, e tentar repor as coisas no seu devido lugar.

sábado, 9 de junho de 2007

Sorry Pal


Hoje quando comecei a pesquisar trackers nacionais, sucedeu-me uma engraçada, inscrevi-me http://www.t-elite.net/login.php, pois que gosto de ver o que é que os sites tem, e o certo é que veio imediatamente o email para confirmar o link, só que a resposta da net foi esta:
O interessante, é que entretanto e enquanto escrevia este post, recebo um email deles a dizer, que já podia fazer o login.......

Ter dois blogs

Um no Blogspot e outro no Sapo, começa a tornar-se giro...
http://jotacapa.blogs.sapo.pt/, este é o mano mais velho, e foi aberto devido a um desafio de um colega meu.

Será que o Projecto de Bolonha e o Secundário

Quem vê os anúncios por aí espalhados, sobre as Novas Oportunidades a dizer que estudar compensa, deve pensar que a vida do aluno está extremamente facilitada. É só chegar à escola, matricular-se, e ao fim de três anos, tem um certificado de qualificação profissional, uma profissão que tem entrada imediata no mercado de trabalho, e se «quizer» pode continuar os estudos.

A ideia é bonita, é sim senhor, mas a realidade será exactamente esta?

O lema é bonito, mas a sociedade que criou tal lema, esqueceu-se de dizer que os ditos cursos profissionais, têm cetas disciplinas adataptadas para a área do curso, e daí que tenhamos a Matemática e a Física e Química adaptada para as áreas em questão. Ora um aluno que tenha feito um cursos profissional dificilmente conseguirá ter sucesso nos Exames Nacionais dessas disciplinas.

Assim, quando o aluno vai para um Curso Profissional só com muito trabalho por fora poderá conseguir sucesso nesses ditos exames.

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Danger Deep e outros jogos

Ontem comecei à procura de jogos para o Ubuntu, e um deles fez-me recordar que já o tinha jogado num pc com uma cpu 80386, claro que o tentei instalar como vem nas normas, porém dá-se o caso, que da forma como vem descrito não o conseguia, e tive utilizar o ficheiro «bin».

o comando:

chmod +x dangerdeep-0.2.0-linux-installer.bin
e em seguida um
sudo ./dangerdeep-0.2.0-linux-installer.bin


funcionou na perfeição, agora só me resta é lembrar-me das teclas para o poder jogar.

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Eh, pá tanto estardalhaço por causa do écrã

Eu reinstalei o Ubuntu de raíz, mas não é coisa que o faça, pois que como o meu leitor/gravador de DVD's até chia que se farta, não costumo ter por hábito andar a fazer reinstgalações dos SO's, se bem que tenha reinstalado o sistema todo, devido a ter resolvido experimentar o UbuntuStudio, mas como não tinha informção pertinente no disco, uma instalação de início demora-me menos tempo, do que ter que andar à cata das alterações que tenho que fazer.
Se fosse agora, garanto uma coisa, tinha mesmo que ser à unha ou à pata ou à mão, como quiserem dizer, pois que a informação que cá tenho, já não a posso deitar para o lixo sem mais nem menos. Porém como não tinha cá nada, e andava em experiências, optei por uma configuração nova.

Quanto ao monitor Philips, este já foi descontinuado, e se bem que eu arranje todo e qualquer manual na net, pelo Google, estive numa de preguiça. A minha mulher queria ver um filme, e é mais rápido fazer o que fiz, do que andar à procura do manual do bicho. Aliás o meu colega também já não tinha manual, e trata-se de um monitor que não é em segunda mão, mas sim em terceira mão, além do que bastante viajado, pois que veio de Lisboa para o Algarve.

Claro que vou aproveitar o comentário do Arame Farpado, que me fez o favor de enviar a definição mais pormenorizada do que a que tenho no xorg.conf, mas por vezes fico como um colega nos EUA, com o qual já troquei correspondência, quero que as coisas funcionem sem ter que ter uma trabalheira imensa. A minha área está mais virada para o cérebro, apesar de já ter feito uns quantos programinhas, neste momento não me sinto assim com muita vontade em meter-me por áreas em que demoraria imenso tempo a programar.

Pirates Bay

Ontem não conseguia entrar no site do Pirates Bay nem do Zubit tracker. Hoje ao experimentar os sites dos HUBS para o Direct Connect, vejo que há uma série deles que não funcionam, ou melhor parece que estão em baixo.

Mirc ou DCC ++

Tenho visto o pessoal graúdo e miúdo a utilizar o mirc com uma facilidade que me mete inveja. Tenho o que se pode dizer, como que uma incapacidade para perceber o mirc. Porém já utilizei o DCC++ no Windows e até gostei, se bem que não seja um newbie na área, parece-me que tenho sempre grande dificuldade em configurar a história do nick no IRC.

Um écrã diferente, ou isto e aquilo

No outro dia desenrasquei um colega com um disco rígido Seagate de 8 gigas. Esses discos velhinhos conseguem desenrascar qualquer computador. Aquele até tinha um sistema Linux instalado e estava formatado com o Ubuntu. O meu colega instalou-lhe um XP em formato abreviado, e segundo parece pelas notícias que tenho, ele tem desenrascado o pc onde está instalado.
Ora, esse colega resolveu trazer-me um monitor Philips de 19 polegadas, para subsituir o meu velho Samtron 56E, que sempre se portou lindamente.
Ora ao instalar este monitor Philips tive que re-instalar o Ubuntu, o que também não me preocupou muito, pois que não tinha nenhum documento nem nada que me fizesse falta. Assim instalei o Linux, e o Philips passou a funcionar, tendo o xorg.conf, no sector do monitor e da placa gráfica ficado com a seguinte configuração:

Section "Device"
Identifier "ATI Technologies Inc RV280 [Radeon 9200 PRO]"
Driver "ati"
BusID "PCI:1:0:0"
EndSection

Section "Monitor"
Identifier "PHILIPS 109S"
Option "DPMS"
EndSection

Section "Screen"
Identifier "Default Screen"
Device "ATI Technologies Inc RV280 [Radeon 9200 PRO]"
Monitor "PHILIPS 109S"
DefaultDepth 24
SubSection "Display"
Depth 1
Modes "1600x1200" "1280x1024" "1024x768" "832x624" "800x600" "720x400" "640x480"
EndSubSection
SubSection "Display"
Depth 4
Modes "1600x1200" "1280x1024" "1024x768" "832x624" "800x600" "720x400" "640x480"
EndSubSection
SubSection "Display"
Depth 8
Modes "1600x1200" "1280x1024" "1024x768" "832x624" "800x600" "720x400" "640x480"
EndSubSection
SubSection "Display"
Depth 15
Modes "1600x1200" "1280x1024" "1024x768" "832x624" "800x600" "720x400" "640x480"
EndSubSection
SubSection "Display"
Depth 16
Modes "1600x1200" "1280x1024" "1024x768" "832x624" "800x600" "720x400" "640x480"
EndSubSection
SubSection "Display"
Depth 24
Modes "1600x1200" "1280x1024" "1024x768" "832x624" "800x600" "720x400" "640x480"
EndSubSection
EndSection

Isto se bem que tenha lido pelos diversos posts que este monitor é possível de utilizar a 100 mhz, mas como o Écrã pareceu ficar um pouco perturbado, desisti dos ditos 100 mhz tendo-o deixado ficar configurado directamente pelo o Ubuntu.

quarta-feira, 6 de junho de 2007

O novo Norton Comander


Hoje andava à procura e encontrei um utilitário do género do Norton Comander, trata-se do Servant Salamander 2.5, o qual permite inclusivé editar os registos do Windows.
O único inconveniente é que é pago, podendo o utilizador experimentá-lo. A notícia aqui fica e o link da página também: http://www.altap.cz/salam_en/norton_commander.html.
Isto se bem que eu defenda que se temos o shareware, não há nada melhor do que o experimentar no seu todo. Portanto continuo a utilizar o Linux, pois que pelo menos neste SO não tenho que andar às voltas para por a funcionar um pequeno programa utilitário.

terça-feira, 5 de junho de 2007

Relembrar o Projecto Minerva

No final da década de 80 apareceu um projecto do Ministério da Educação que se chamava Projecto Minerva. Naquela altura, qualquer professor que tivesse alguns conhecimentos de informática na óptica do utilizador era imediatamente aproveitado para ser ligado ao dito projecto. Os professores da altura, e já nos anos 90 não tinham formação em TIC, mas usavam os conhecimentos que tinham, pois que nos anos 80 um pc custava muito perto de 400 contos os quais eram algumas vezes vendidos com discos de 60 megas os quais tinham que ser particionados a 30 megas, pois que as CPU's não tinham capacidade para mais.
Ainda me lembro do meu velho Commodore com écrâ Hercules, um 8088, que um técnico da Triudus na Baixa Lisboeta levou três horas para conseguir por um disco de 60 megas a funcionar. Isto porque o raio do hardware só aceitava o MS-DOS 3.30.

Mas os tempos evoluiram, o Projecto Minverva acabou e apareceram as TIC com programa próprio mas leccionando unicamente conteúdos de utilização simples, Processador de Texto, Folha de Cálculo e umas noções de base de dados.

Os programas actualmente de uma pseudo cultura informática, não me parecem andar a estimular o suficiente as capacidades para as novas tecnologias. A massificação da informática pode não dar exactamente os resultados que seriam de esperar, mas veremos o que isto irá dar.

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Segundo Festival da Academia Recreio Artistica

Decorreu durante o fim de semana o Segundo Festival da canção da Academia de Recreio Artística, em Lisboa. Como fiz o anúncio da canção que ia ser apresentada no festival pelo meu amigo João, aqui fica a nóticia, o João venceu o festival sendo considerado o melhor intérprete.

Parabéns João.