Páginas

Follow by Email

sábado, 21 de julho de 2007

Como conheci o SoundForge

Entrei em contacto com a o SoundForge 4.5 por um colega que sabe que eu gosto de programas para tratamento de som, e me enviou um CD com um lote de programas para tratamento de som.
Isto passou-se à cerca de 7 anos atrás, e entretanto o SoundForge evolui e evolui até ao ponto de se poder substituir as vozes dos actores nos filmes, por outras. Mas essa não é a minha especialidade.
Mas entretanto, como o SoundForge evolui para o Mac e para o Windows e eu evolui para o Linux, o Sound Forge foi ficando um pouco de lado, se bem que tenha sempre o último saído à mão de semear para o que der e vier. Não vá alguém lembrar-se que fiz CD's para a Rádio Clube do Sul, e me peça exactamente o mesmo.
O problema de se tirar a parte vocal dos ficheiros MP3 é que vai depender como a produtora realizou a gravação. Normalmente a voz é posta por cima da música e não misturada com esta. Nessas tanto o Audacity como o Sound Forge são relativamente fáceis de tirar a parte vocálica, podendo fazer-se uma faixa de Karaoke sem grandes problemas. Pois que dá-se mais uns picos à música, e quem quizer pode cantar por cima, fazendo nós uma colagem por cima da música, ouve-se, se está bem fixa-se, se não estiver bem move-se a voz para a direita ou para a esquerda, e acerta-se a olho. Se por acaso o cantor desafinou, e deu umas fifias desde que não sejam desmesuradas, podemos acertar-lhe a voz.
Outros programas tal como o CoolEdit, permite visualizar a música e a canção até várias faixas, podendo-se separar quase todos os instrumentos da faixa de mp3.

Normalmente quando me dizem que eu podia ripar certos CD's de música para MP3, o que eu recomendo sempre é que usem o SoundForge, é rápido a fazer o backup de importação dos CDA para MP3, e não perde a qualidade de codificação dos 2 ou 4 canais canais, como seja o caso da Quadrifonia.
Postar um comentário